Cotidiano

'Quero mudar o mundo': Mais de 6 mil enfrentam 5h de prova em busca do sonho do curso superior

Imprevistos fizeram estudante de Sidrolalândia chegar atrasada e perder a prova

Fábio Oruê e Ranziel Oliveira Publicado em 08/01/2022, às 14h55

Estudantes vão tentar oportunidade em 58 cursos da UEMS
Estudantes vão tentar oportunidade em 58 cursos da UEMS - Foto: Leonardo de França/ Jornal Midiamax

Futuros egressos da UEMS (Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul) vão passar as próximas cinco horas prestando o vestibular e sonhando com uma oportunidade de cursar o ensino superior. Os mais de 6,6 mil inscritos fazem a prova neste sábado (8), em 17 municípios do Estado

Filha de professores, a estudante Mariana Clara, de 17 anos, que seguir a profissão dos pais e 'mudar o mundo'. "Vou prestar para letras. O cenário atual da educação básica e pública é bem desvastador; é triste. Precisamos de pessoas capacitadas para mudar esse cenário", disse ela ao Jornal Midiamax.

Vinda da aldeia Tereré, em Sidrolândia, a estudante Marília Gabriely Marcelino, de 17, tinha tudo para chegar com tempo e prestar o vestibular para Geografia, mas imprevistos a fizeram chegar após o fechamento dos portões, às 14h. "Saí com tempo, mas o trânsito estava demais", explicou ela. 

Marília perdeu a prova. (Foto: Leonardo de França/ Jornal Midiamax)

Ela veio de Sidrolância de carona com outros moradores - conhecido como rateio ou lotação. Chegando em Campo Grande, eles deixaram uma outra pessoa que ia fazer o vestibular na UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) e tiveram que deixar outra em um hospital, já que ela passou mal. 

Por fim, o horário 'venceu' e Marília chegou cerca de um minuto após o portão fechar. "Foi questão de um minuto, mas se não for para ser esse ano não tem problema, a gente tenta de novo", disse ela, abalada. 

Portões se fecharam às 14h. (Foto: Leonardo de França/ Jornal Midiamax)

Cursos mais procurados 

O vestibular está acontecendo simultaneamente em todo o Estado. São 6.636 inscrições pagas para os 58 cursos oferecidos por 14 unidades da instituição. Na Capital as provas estão ocorrendo na UEMS e na UFMS, com 614 pessoas em uma e 2.000 na outra, respectivamente. 

Em Campo Grande, segundo a vice-diretora da UEMS, Celi Corrêa Neres, os cursos mais procurados são medicina e pedagogia. O estudante Bruno de Lima, de 22 anos, está fazendo a prova para cursar 'a famosa' medicina e, segundo ele, estuda desde 2020 para o vestibular. 

"Desde que me entendo por gente escolhi medicina. É uma profissão muito nobre, sempre admirei.  É a tentativa de um sonho, tem gente [da família] que apoia e outros que falam para tentar algo mais fácil, mas aprendi a olhar para mim mesmo", opinou ele à reportagem.

Bruno vai tentar uma vaga em medicina. (Foto: Leonardo de França/ Jornal Midiamax)

A prova tem duração de cinco horas com 60 questões e redação. Na Capital, 27 sabatinos vão fazer a prova depois do pôr do sol, conforme Celi. Levantamento nas 14 unidades mostra que o cursos mais procurados em MS são o de medicina e direito, em 1º e 2º lugar, respectivamente. 

E não só pessoas de MS estão interessadas nas vagas da UEMS. A estudante Ariane Fernandes veio de Presidente Prudente (SP) para prestar o vestibular de medicina em Campo Grande.

"Medicina a gente tem que tentar todas. É um curso muito concorrido e por isso, ja fiz várias viagens", explicou ela. Nesta edição do processo seletivo, a UEMS está com 1.191 vagas abertas.

Jornal Midiamax