Cotidiano

Prazo para registro da área plantada com soja em Mato Grosso do Sul termina na segunda-feira

Expectativa é que estiagem diminua a produtividade da colheita

Fábio Oruê Publicado em 07/01/2022, às 14h48

None
Foto: Divulgação

Com o prazo final do plantio da soja em Mato Grosso do Sul encerrado no dia 31 de dezembro, cabe aos produtores atenção especial com relação ao prazo para registro da área plantada, que termina nesta segunda-feira (10). A data de encerramento do plantio é estabelecida como uma das estratégias de defesa sanitária vegetal para reduzir a incidência de ferrugem asiática.

Conforme a Lei n° 3.333 é obrigatório informar à Iagro (Agência Estadual de Defesa Sanitária, Animal e Vegetal) até o dia 10 de janeiro. O registro pode ser feito neste link.  A não informação ao órgão pode acarretar penalidades ao produtor.

Safra 2021/2022

Diferente das primeiras estimativas que davam conta de que MS pudesse atingir produtividade de até 58 sc/ha, o que novamente seria uma safra recorde considerando ainda a área plantada que é a maior da história (com 3,8 milhões de hectares), hoje o setor trabalha com a probabilidade de quebra devido à estiagem e busca apoio do Governo Federal para reduzir os impactos junto ao setor produtivo e na economia.

De acordo com o secretário Jaime Verruck, da Semagro (Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar), os técnicos estão a campo para fazer um estudo, mas o que se sabe até o momento é que em lavouras da região Sul (onde estão concentras 65% da área plantada com soja) as perdas estão consolidadas.

Estiagem

O Monitor de Seca da ANA (Agência Nacional de Água) indica que todos os municípios do Estado estão enfrentando seca de moderada a extrema e as chuvas estão entre 40% e 50% abaixo da média histórica e a tendência é essa situação perdurar até março.

Após reunir-se com as diretorias da Famasul e Aprosoja, o governador Reinaldo Azambuja, decretou situação de emergência nas 79 cidades do Estado, em função da seca e estiagem.

A escassez de chuvas não ocorre apenas em Mato Grosso do Sul. Todos os Estados da Região Sul estão sentindo os efeitos da estiagem. Em Santa Catarina, o secretário de Agricultura, Altair Silva, reportou perdas de até 80% nas lavouras de milho.

No Paraná, o problema se repete em menor ou maior intensidade em todas as regiões, conforme o secretário de Agricultura, Norberto Anacleto Ortigara.

Jornal Midiamax