A de terá acréscimo de mais de R$ 9 milhões nos recursos encaminhados pelo Município para pagamento de despesas do . O extrato foi publicado no Diário Oficial desta quinta-feira (25), uma semana após denúncias de que o hospital estaria escondendo leitos enquanto mantinha pacientes em macas nos corredores.

O dinheiro vem de emendas parlamentares, do Governo do Estado e da Prefeitura de Campo Grande e será destinado a novos leitos de psiquiatria, pagamento de leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) neonatal, atualização dos valores pagos por produção e para investimento na área de hemodiálise.

Conforme publicação na edição de hoje (25) do Diário Oficial, por mês, serão R$ 25 mil a mais para pagar 20 leitos de psiquiatria. Outros R$ 454 mil para acréscimo de custeio no pagamento de 13 leitos de URI neonatal.

Na produção de média e alta complexidade, o repasse mensal que hoje é de R$ 445 mil vai subir R$ 250 mil mês. Em outro convênio financeiro, o valor passará de R$ 23.870.446,73 para R$ 25.045.370,20.

Em parcela única, duas emendas parlamentares terão repasse milionário ao hospital, uma no valor de R$ 7,6 milhões e outra de R$ 375 mil. Na área da hemodiálise, o investimento será ampliado em R$ 305.936,25, que deverão ser investidos para procedimentos de hemodiálise ambulatorial em pacientes crônicos.

Por último, acréscimo pontual do Estado e Município farão pagamento de seis parcelas de R$ 3 milhões para pagamento de contas de junho a dezembro de 2022.

Pacientes nos corredores e leitos vazios

Conforme relato de um paciente, ele teria ouvido de um profissional que o encaminhava para o corredor que tal medida estaria sendo tomada para o hospital ‘forjar lotação'.

Segundo o (Sindicato dos Trabalhadores na Área de Enfermagem de MS), foi feita uma vistoria, sendo constatado que vários pacientes estavam sendo transferidos para os corredores de alas diversas, mesmo com leitos vazios, como demonstrado em uma das fotos.

Conforme denúncia, teriam nove pacientes no corredor do hospital, mesmo tendo vagas em leitos no sétimo andar. “As altas ocorreram, liberaram mais leitos e os pacientes ainda permanecem no corredor”, diz leitor.

Hospital admite leitos vazios

A Santa Casa de Campo Grande emitiu nota admitindo ter leitos vazios, apesar de colocar pacientes nos corredores do hospital.

Conforme a nota, esses leitos vazios estariam reservados para casos como pacientes transplantados e de cirurgias eletivas, apesar de não informar a quantidade de leitos que já estariam destinados a esses pacientes.

Embora a situação dos acamados nos corredores mesmo com leitos sobrando, o hospital lamentou tal situação e reafirmou que, mesmo com todas as dificuldades, “busca atender todos de forma mais humana e ágil possível”.