A manhã foi de horas de espera para quem precisava de atendimento na Upa (Unidade de Pronto Atendimento) do bairro Universitário. Conforme escala médica da (Secretaria municipal de Saúde), seis médios estavam de plantão na unidade de manhã.

Gilmar Damião entrou em contato com o Jornal Midiamax para reclamar da falta de atendimento. “Estou com febre, dor de cabeça, dor no corpo e há quatro horas esperando aqui. Ninguém está sendo chamado para atendimento”, afirma.

A unidade tem recebido recorrentes. Na terça-feira (4), pais disseram ao Midiamax que mais de 40 crianças aguardavam atendimento, em área sem ventilação e com espera de duas horas para conseguir atendimento.

Espera de 4 horas é protocolar, diz prefeitura

Em nota, a prefeitura de informou em nota que a unidade está atendendo com 4 clínicos e 4 médicos pediatras. “Todos os pacientes estão sendo atendidos dentro do tempo protocolar que é de até 4h para casos de menor gravidade classificados como azul e verde. Cabe ressaltar que o atendimento na UPA e no CRS se dá por classificação de risco e não por ordem de chegada”.

Considerou ainda que nestas unidades há pacientes em observação ou aguardando transferência nas enfermarias e alas amarela e vermelha, que precisam ser acompanhados de maneira constante pela equipe da unidade.  Por fim, a Secretaria Municipal de Saúde (Sesau) reforça que tem tomado todas as medidas necessárias para melhorar o fluxo de atendimento das unidades, que envolve desde a reformulação dos protocolos internos e contratação de mais profissionais. Nos últimos dois anos, mais de 1,4 mil profissionais de saúde aprovados em concurso já foram convocados para reforçar o atendimento nas unidades. Além disso, o Município mantém aberto o processo seletivo para contratação temporária de médicos e tem feito os chamamentos de maneira periódica para suprir as eventuais vacâncias.