Sem fiscalização, uso obrigatório de máscaras nos ônibus é desrespeitado em Campo Grande

Usuários do transporte coletivo relataram a falta do uso de máscara em diversas linhas de ônibus em Campo Grande
| 01/06/2022
- 07:49
uso de máscara, ônibus
Pessoas desembarcando sem o EPI ou com a máscara abaixada no terminal Morenão (Foto: Stephanie Dias / Jornal Midiamax)

O uso de máscaras de proteção contra a continua vigente para quem utiliza o transporte coletivo em Campo Grande. Porém, a falta de bom senso de alguns usuários e a fiscalização pouco atuante por parte do Consórcio Guaicurus proporcionam um cenário de insegurança biológica e favorável para a transmissão do vírus.

No terminal Morenão, a atendente Heloisa Ferreira, de 21 anos, testemunha o desrespeito constante por parte de alguns usuários. “Tem bastante gente que não usa. As pessoas só usam a máscara para entrar no terminal e depois que passam a catraca retiram, ou colocam no queixo. Eu acho meio errado, estou usando. O certo é usar aqui e dentro do ônibus”, disse ela.

Para o jardineiro Everton Almeida, de 28 anos, o uso do EPI (Equipamento de Proteção Individual) deve ser respeitado no ônibus porque o vírus continua presente. “Eu sei que incomoda, mas tem que se prevenir. A pandemia ainda está aí. Eu sou jovem e não tenho uma saúde frágil, mas e os idosos? Temos que pensar nos outros também”, pontuou.

Utilizando as linhas 87, 70 e 53, a estudante Letícia Medeiros, de 16 anos, também notou a falta de respeito de algumas pessoas. “Alguns motoristas estão cobrando, mas é bem raro. De duas a três pessoas acabam ficando sem máscara no ônibus”, disse ela.  

uso de máscara, ônibus
Ao fundo, um homem de crachá está sem máscara e o mesmo pode ser visto com o que está sentado no banco (Foto: Stephanie Dias / Jornal Midiamax)

A acadêmica de audiovisual Amanda Vargas, de 20 anos, pega a linha 89 diariamente e também notou a falta de bom senso. “Tem algumas pessoas que pararam de usar dentro do ônibus. Acho essa atitude prejudicial, as pessoas acreditam que a pandemia acabou, mas não acabou”.

O que diz a prefeitura

Em nota a Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito), através da PMCG (Prefeitura Municipal de Campo Grande), informa que o município mantém como obrigatório o uso de máscara no transporte coletivo. A fiscalização é de responsabilidade do preposto e do motorista do ônibus. As denúncias podem ser feitas por meio do telefone 156 ou Fala CG, além do SAC da Concessionária.

O Jornal Midiamax solicitou esclarecimentos do Consórcio Guaicurus sobre a fiscalização nos ônibus e terminais de transbordo de Campo Grande, mas até a publicação desta matéria não obtivemos retorno. O espaço segue aberto para posicionamento.

Onde o uso da máscara continua obrigatório na Capital do MS?

Após uma reunião no dia 21 de março de 2022, a decidiu retirar a obrigatoriedade do uso das máscaras. Desde então, o uso é apenas obrigatório no transporte coletivo, transporte rodoviário e nas unidades de saúde.

Veja também

Lei de 2015 isentou IPTU por cinco anos e ISSQN por dez anos para estacionamentos verticais

Últimas notícias