Cotidiano

Infectado por H3N2 pode transmitir vírus antes mesmo de apresentar algum sintoma

Pessoas com imunodepressão podem transmitir vírus ainda por semanas ou meses

Fábio Oruê Publicado em 05/01/2022, às 16h25

None
Foto: Leonardo de França/ Arquivo/ Jornal Midiamax

O vírus da Influenza H3N2 tem rápida transmissibilidade, assim como seu 'irmão' H1N1, podendo ser passado de uma pessoa para outra já no dia seguinte à infecção. 

Segundo informações do Ministério da Saúde, crianças — quando comparadas aos adultos — excretam vírus mais precocemente, com maior carga viral e por períodos mais longos.

Já pessoas adultas podem transmitir o vírus entre 24 e 48 horas antes do início de sintomas, porém em quantidades mais baixas do que durante o período sintomático — nesse período, o pico da excreção viral ocorre, principalmente entre as primeiras 24 até 72 horas do início da doença. 

O período de incubação da Influenza acontece, em geral, de um a quatro dias. Pessoas com imunodepressão podem transmitir vírus por semanas ou meses.  A SES (Secretaria de Estadual de Saúde) confirmou, nesta quarta-feira (5), a sexta morte por H3N2 em Mato Grosso do Sul.

Transmissão

A transmissão direta de pessoa a pessoa é mais comum, e ocorre por meio de gotículas expelidas pelo indivíduo infectado com o vírus, ao falar, espirrar ou tossir.

Conforme o órgão ministerial, também há evidências de transmissão pelo modo indireto, por meio do contato com as secreções de outros doentes. Nesse caso, as mãos são o principal veículo, ao propiciarem a introdução de partículas virais diretamente nas mucosas oral, nasal e ocular.

A eficiência da transmissão por essas vias depende da carga viral, contaminantes por fatores ambientais, como umidade e temperatura, e do tempo transcorrido entre a contaminação e o contato com a superfície contaminada.

Cuidados

De acordo com o Coronel Marcello Fraiha, assessor militar da SES, por se tratarem de síndromes gripais, as orientações contra a Covid e Influenza são as mesmas. Dessa forma, devem ser mantidos os seguintes cuidados:

  • Lavar frequentemente as mãos com água e sabão;
  • Evitar frequentar locais públicos, fechados e com muita gente;
  • Cobrir com a dobra do braço a boca e nariz sempre que precisar tossir ou espirrar;
  • Evitar tocar os olhos, nariz e boca;
  • Evitar compartilhar objetos pessoais que possam estar em contato com gotículas de saliva ou secreções respiratórias, como talheres, copos e escovas de dentes;
  • Manter os ambientes fechados bem arejados, abrindo a janela para permitir a circulação de ar;
  • A vacinação em ambos os casos é essencial, as quais estão à disposição da população nos 79 municípios do Estado.
Jornal Midiamax