De 2021 para 2022 aumentou em 34% o número de presos inscritos no Encceja PPL (Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos para pessoas privadas de liberdade). Neste ano, 1.666 farão as provas para concluir o ensino fundamental e 1.150 o médio, enquanto no ano passado o total de interessados foi 2.096.

De acordo com informações da Agepen (Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário), os inscritos estão em 37 presídios de Campo Grande e do interior. Na Capital farão as provas 897 detentos, em (98), Aquidauana (79), Bataguassu (40), Cassilândia (60), Caarapó (19), (103), Coxim (89), Dois Irmãos do Buriti (57), Dourados (226), Ivinhema (23), Três Lagoas (200), Jardim (20), Jateí (52), Nova Andradina (30), Ponta Porã (176), Rio Brilhante (86), São Gabriel do Oeste (41), (204) e (201).

No ranking, Dourados saiu na frente com 271 participantes da PED (Penitenciária Estadual de Dourados), seguida pela Penitenciária Estadual Masculina de Regime Fechado da I de Campo Grande, com 212, e pelo Instituto Penal da Capital, com 163.

As provas serão aplicadas, nos dias 18 e 19 de outubro, para o ensino fundamental e médio, respectivamente. De acordo com o Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais), do Ministério da , a prova para pessoas presas segue o mesmo formato da regular, mas com conteúdo das questões diferente.

Sobre a aplicação

Serão quatro provas objetivas, sendo cada uma com 30 questões de múltipla escolha. Além disso, também é preciso redigir uma redação de até 30 linhas no modelo de texto dissertativo-argumentativo, o mesmo do (Exame Nacional do ).

O que é o Encceja?

Criado em 2002, o Encceja surgiu como uma ferramenta de avaliação de participantes que não estavam frequentando regularmente as escolas e pretendiam obter o certificado.