Minutos antes do início do terceiro jogo do Brasil na do Mundo, as ruas de são de trânsito intenso, muitas pessoas vestindo verde e amarelo e bares lotados. Por volta das 14h30, começou a chover forte na Capital, o que não desanimou os torcedores.

Bar localizado nos altos da avenida Afonso Pena está lotado. O jornalista Cesar Moura foi ver o jogo com a esposa Lilian Patrícia e as duas filhas pequenas de 11 e 6 anos. “Estou sereno, de qualquer maneira já estamos classificados para as oitavas. Mas queremos um bom saldo de gols, porque o Brasil vive de esperança”, conta.

Já a esposa disse que este é um momento de família e quer ensinar as filhas para não perder a tradição de torcer para o Brasil. “A Copa está trazendo um alívio para um período de ódio e polarização. E resgatando um patriotismo de verdade”.

Em outro bar, Rodrigo Abreu, 39, funcionário público, chuta em 3 a zero para o placar, apostando no Brasil. “A atrapalha um pouco, mas tudo depende do resultado do jogo. Não é impedimento para sair de casa”.

Já Vanessa Bandeira, 70, estava no bar com os amigos e disse estar confiante na vitória do Brasil. Ela diz ser boêmia e animada em ver o jogo fora de casa. Maria Salete, 67, também está confiante. “Não estou aqui para perder. Vim para o bar porque gosto da vibrante do momento”.