Bonito permite agências de 'fora' venderem passeios e tira exclusividade de empresários locais

Medida desagradou empresários de Bonito, mas ainda depende de regulamentação para vigorar
| 29/06/2022
- 15:48
Prefeitura de Bonito decretou medidas para conter avanço da Covid-19
(Foto: Arquivo)

A Câmara de aprovou uma Lei Complementar que permite agências de turismo a venderem os passeios nos atrativos do local e contrariou os empresários da região, que detém exclusivamente as vendas turísticas.

Lei Complementar nº 162, que institui o Sistema Municipal de Turismo no Município de Bonito, foi aprovada em 21 de dezembro de 2021. Além da permissão citada, o documento também traz a criação de taxas para turistas.

"Os receptivos locais trabalham única e exclusivamente com Bonito e pantanal. A partir do momento que agente for abrir isso aí, vai enfraquecer as agências locais e Bonito vai ser mais um na prateleira", diz uma empresária, que preferiu não ser identificada, ao Jornal Midiamax.

O trade local está preocupado com o artigo 62 da Lei pois com as empresas de fora no envolvimento das vendas poderiam acarretar prejuízo para as agências, como queda no faturamento e até demissões. As agências locais, como conhecem Bonito, fazem os roteiros de passeios de acordo com as possibilidades regionais.

"Poderia ocorrer a extinção dos guias porque é algo que ocorreria a distribuição. Então, no valor de um atrativo, já vem um condicionamento da agência, o valor que o guia recebe por pessoa e quem garante que futuramente um guia vai continuar recebendo por pessoa. Então tem N fatores que podem desencadear com essa abertura", conta.

"Como cidadã bonitense fiquei bem preocupada como as coisas estão ocorrendo. Não foi regulamentada ainda porque 'chiamos', mas não foi revogada", disse outra empresária que conversou com a reportagem.

'A tecnologia vai vencer'

Segundo ele, o estudo vai mostrar quais as falhas existem no sistema interno de organização e um panorama para a cidade daqui a 20 anos. "A gente tem que conversar muito, dialogar com todos os empresários, rede hoteleira e chegar a melhor forma. O estudo está em avaliação. Nós vamos licitar as empresas para ver o futuro da nossa cidade de Bonito e eu tenho certeza que a tecnologia vai vencer", explica o mandatário.

Em publicação no Diário Oficial da Assomasul, de quarta-feira (29), a prefeitura retirou a inciso que dava a a permissão.  A nova redação pode ser conferida clicando aqui, na página 156.

De acordo com nota do Executivo de Bonito, a situação foi debatida entre com ramos empresariais, tributários, contábeis e comerciais, e foi decidido que a expansão deveria ser revogada.

Taxa de segurança para os turistas de Bonito

Nesta semana foi aprovado, em regime de urgência na Câmara Municipal, a taxa por turista para destinada a dos mesmos e ao meio ambiente. A polêmica cria por conta disso é que já existe Lei Complementar 37que fez com que grande parte dos atrativos instituíssem uma taxa para sistema de segurança ambiental.

Na nova Lei, quem visita Bonito paga uma taxa de R$ 7 por dia de permanência na cidade, no qual os valores arrecadados serão destinados para à saúde pública (20%) - para garantir assistência médica para os turistas- e também para conservação e manutenção do meio ambiente (80%).

*Matéria alterada às 15h30 de 30/02/2022 para acréscimo e alteração de informações.

Veja também

Serão nove dias de celebrações a Nossa Senhora da Abadia envolvendo a comunidade e a história do santuário em Campo Grande

Últimas notícias