Agereg prevê 'obstáculos' a pedido do Consórcio para aumentar passagem por conta dos combustíveis

Segundo presidente da Agereg, Odilon Júnior, os obstáculos são porque já existe um contrato feito no âmbito do último reajuste
| 06/04/2022
- 10:30
Agereg prevê 'obstáculos' a pedido do Consórcio para aumentar passagem por conta dos combustíveis
Odilon Jr em audiência pública nesta quarta (Foto: Nathalia Alcântara)

O diretor-presidente da , Odilon Júnior (PSD), disse na manhã desta quarta-feira (6) ao Midiamax, que “prevê obstáculos” ao pedido de revisão do valor da passagem de ônibus em Campo Grande feito pelo Consórcio Guaicurus. A revisão da tarifa seria necessário, segundo o Consórcio, por conta do aumento nos combustíveis.

“O estudo para ver a necessidade de aumento foi protocolado pelo Consórcio e já está sendo feito, mas sem prazo para terminar. Logo após vamos enviar ao conselho de regulação da Agereg. Mas eu prevejo obstáculos justamente porque já existe um decreto do prefeito feito no âmbito do último reajuste”, disse Odilon, que participa de uma audência pública sobre transporte municipal na Câmara esta quarta.

Estudo solicitado

O Consócio Guaicurus protocolou na Agereg (Agência Municipal de Regulação dos Serviços Públicos) um pedido para a agência fazer um estudo de reajuste da tarifa de ônibus. O pedido é baseado no aumento dos combustíveis anunciado no começo deste mês.

O presidente do consórcio Guaicurus, João Rezende, disse ao Jornal Midiamax que o preço do representava 25% da tarifa técnica no último reajuste e, agora, representa 32%, por isso a necessidade de uma reavaliação.

Segundo Odilon Júnior (PSD), o pedido de estudo foi protocolado e já despachado para área técnica da agência fazer a análise. Não há prazo para o trâmite, bem como ainda não é possível saber se existe mesmo a necessidade de reajuste, já que o estudo nem foi feito. Caso a análise técnica aponte para o reajuste, o Conselho de Regulação e o prefeito precisam autorizar o eventual aumento.

Aumento recente

A passagem passou de R$ 4,20 para R$ 4,40 em janeiro desde ano.  A nova tarifa foi publicada no Diogrande (Diário Oficial de Campo Grande).

Veja também

Os bombeiros foram acionados na tarde desta sexta-feira (1) para conter incêndio na Avenida Coronel...

Últimas notícias