Principal destino turístico de Mato Grosso do Sul, passará a cobrar contribuição ambiental de visitantes que fecharem algum tipo de passeio turístico na cidade. A taxa diária será de R$ 7 por pessoa e passará a ser cobrada a partir do dia 12 de dezembro, conforme prevê Lei Municipal. 

Diretor municipal de , Elias de Oliveira Francisco, explica que a cobrança estará vinculada à emissão do ticket, do passeio escolhido. “A agência de viagem cria um código identificador da reserva e um aplicativo gera o cadastro do visitante e um QRCode. O voucher do passeio é liberado somente após o pagamento da taxa ambiental”, afirma. 

Após o pagamento, a contribuição ambiental é depositada diretamente em uma conta vinculada à Secretaria do Meio Ambiente. O valor só é cobrado por pessoa e não há público isento.

“Se a pessoa quiser ir apenas para circular pela cidade ela pode. A cobrança só é feita de quem fizer algum passeio. O turista paga uma única vez no dia em que fizer o passeio, independente da quantidade de atrações que visitar. Se no outro dia tiver outro agendado, terá de pagar novamente”, pontua o diretor. 

Com a arrecadação, o dinheiro será destinado à preservação ambiental da região. Entre as prioridades, estão projetos de recuperação de rios e matas auxiliares, implantação de nova estação de tratamento de e aterro sanitário na cidade, além de melhorias na estrutura e nos equipamentos utilizados pela Secretaria de Meio Ambiente.

“Sabemos que existem outros destinos que cobram taxas com valores muito além do que a gente aplicou. Acredito que quando o turista sabe da finalidade do dinheiro e fica explícito que é pela preservação, vai haver empenho e vontade de contribuir”, finaliza Elias. 

De acordo com informações do Observatório de Turismo de , em 2021, 205.460 visitantes passaram pela cidade, vindos de diferentes partes do Brasil e do mundo e atraídos pelas riquezas naturais da cidade. 

No mesmo ano, foram 679.891 visitações aos pontos turísticos da cidade. O valor médio de cada passeio é de R$ 140.