Cotidiano

VÍDEO: Pesqueiro fica submerso com cheia do Rio Miranda, que começou há 4 dias

Na manhã desta terça-feira (26), o pesqueiro Chapema foi flagrado submerso em Bodoquena, a 265 km de Campo Grande. 

Dândara Genelhú Publicado em 26/01/2021, às 15h34

Construções ficaram embaixo d'água.
Foto: Reprodução/ Redes Sociais.
Construções ficaram embaixo d'água. Foto: Reprodução/ Redes Sociais. - Construções ficaram embaixo d'água. Foto: Reprodução/ Redes Sociais.

Há pelo menos quatro dias, regiões banhadas pelo Rio Miranda enfrentam a cheia das águas causada pelo período de chuvas. Na manhã desta terça-feira (26), o pesqueiro Chapema foi flagrado submerso em Bodoquena, a 265 km de Campo Grande.

De barco, a moradora da região percorre o rio e partes do pesqueiro. No vídeo, publicado nas redes sociais, é possível ver construções embaixo d’água e cercas com apenas metade da altura para fora do rio.

Assim, a situação se prologa desde 22 de janeiro, quando na região do encontro entre o Rio Miranda e o Nioaque atingiu 9,75 metros de altura. Normalmente os rios ficam com a água no nível de três metros acima do solo.

Confira o vídeo do local:

Imasul (Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul) emitiu alerta para a cheia do rio, que já estava sendo monitorado pelas equipes do Estado. Em situação de emergência, o Rio Miranda também atingiu e invadiu casas de ribeirinhos, em 22 de janeiro, no Distrito Águas do Miranda, em Bonito.

Jornal Midiamax