Cotidiano

Vereadores votarão 30 atividades a serem liberadas no ‘fecha tudo’ em Campo Grande

A Câmara Municipal de Campo Grande convocou sessão extraordinária para às 13h desta sexta-feira (19) para votar decreto enviado pelo Executivo Municipal com cerca de 30 atividades que poderão funcionar durante a semana do ‘fecha tudo’ na próxima semana em Campo Grande, alternativa ao lockdown. Conforme  o procurador municipal, Alexandre Ávalo, a Prefeitura enviou para […]

Gabriel Maymone Publicado em 19/03/2021, às 11h41 - Atualizado às 13h44

Plenário da Câmara Municipal de Campo Grande (Foto: Izaias Medeiros/CMCG/)
Plenário da Câmara Municipal de Campo Grande (Foto: Izaias Medeiros/CMCG/) - Plenário da Câmara Municipal de Campo Grande (Foto: Izaias Medeiros/CMCG/)

A Câmara Municipal de Campo Grande convocou sessão extraordinária para às 13h desta sexta-feira (19) para votar decreto enviado pelo Executivo Municipal com cerca de 30 atividades que poderão funcionar durante a semana do ‘fecha tudo’ na próxima semana em Campo Grande, alternativa ao lockdown.

Conforme  o procurador municipal, Alexandre Ávalo, a Prefeitura enviou para a Câmara projeto autorizativo para  determinar a antecipação dos feriados municipais de Santo Antônio e 26 de agosto dos anos de 2021 e 2022, que totalizam 4 dias. A Prefeitura estaria negociando com o Governo de MS antecipação do feriado estadual do dia 11 de outubro (criação de MS) para preencher o 5º dia de restrição.

A semana ‘fecha tudo’ vai acontecer de 22 a 28 de março. “Não se trata de semana de feriado, mas de restrições. Tomamos a medida atentos à decisão técnica da saúde, com objetivo de salvar vidas. Serão  cerca de 30 atividades que permanecem autorizadas no período”, informou.

De forma geral, as atividades que terão autorização para funcionar serão relacionadas à fornecimento de alimentos, medicamentos, delivery, postos de combustíveis, consultórios médicos e igrejas, além de aulas remotas. Atividades como academias, parques e shoppings não poderão abrir.

“Se não tem atividades [funcionando], somente as essenciais, as pessoas devem ficar em casa. Não podemos impedir o trânsito de pessoas, exceto durante o toque de recolher. A palavra de ordem é consciência”, disse o procurador.

Líder do prefeito na Câmara, o vereador Beto Avelar (PSD) declarou que a Câmara é favorável à medida e que Campo Grande precisa de resposta urgente para poder diminuir esses números.

Assim, uma edição extra do Diogrande  deve ser publicada no final da tarde desta sexta-feira (19) com o decreto. Também é esperada a publicação de medidas de adiamento do vencimento de tributos municipais como IPTU e ISS de pequenas, microempresas, MEIs e profissionais liberais.

Jornal Midiamax