Vacinação em massa: cobertura variou de 105% a 73% nas cidades do estudo em MS

Enquanto cidades superam expectativa, outras têm cerca de 1 não vacinado a cada 4 moradores
| 13/07/2021
- 17:30
Vacinação em massa: cobertura variou de 105% a 73% nas cidades do estudo em MS
Cidades com maior índice de vacinados são Ponta Porã e Antônio João. - Henrique Arakaki/Midiamax

Com o estudo de vacinação em massa, as cidades de fronteira de conseguiram doses para aplicar em toda a população. Em uma semana, o estudo conseguiu atingir a meta de 90% de pessoas vacinadas com pelo menos uma dose, mas a taxa de cobertura vacinal varia entre os municípios. Enquanto algumas cidades conseguiram vacinar toda a sua população, outras não conseguiram chegar perto da meta.

Os dados foram levantados conforme informações disponíveis no Vacinômetro da SES (Secretaria de Estado de Saúde). Os dados levam em conta a população considerada ‘vacinável’ nos municípios, com 15 anos ou mais. A cidade que lidera os índices de cobertura vacinal e teve o melhor resultado foi Ponta Porã, a 343 quilômetros de Campo Grande. 

O infectologista da Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz), Julio Croda, explica que as informações serão atualizadas nesta terça-feira (13), portanto os números nos municípios podem aumentar, mas ressalta que os índices variam conforme o município. “Alguns têm cobertura de 100%, outros menor do que 90%”, comenta.

Ponta Porã conseguiu superar a previsão da vacinação e imunizou 105% da população. O dado é muito importante, considerando que é a segunda maior cidade da fronteira de Mato Grosso do Sul. Ao todo, Ponta Porã aplicou 37,3 mil vacinas da Janssen, de dose única. Com isso, a cidade tem 71,6% da população totalmente imunizada.

Outro município que se destaca é Antônio João, também com 105% de pessoas acima dos 15 anos vacinadas com pelo menos uma dose. A cidade chamou a atenção devido à alta procura de doses. Logo nos primeiros dias da imunização em massa, a população correu para se vacinar e as doses esgotaram rapidamente. 

Na terceira posição, Sete Quedas tem 102% de vacinados em relação à população que pode ser vacinada, ou seja, acima de 15 anos conforme a estimativa do Data SUS. Com relação às pessoas imunizadas, ou seja, que tomaram as duas doses ou a vacina de dose única, o número representa 74,5%. Na quarta posição do 'ranking' está Mundo Novo, com 96,8% da população acima dos 15 anos com pelo menos uma dose de vacina. Para fechar o 'top 5', Paranhos tem 93,5% de vacinados com ao menos uma dose.

A cidade com o menor índice de cobertura, segundo o Vacinômetro, é Porto Murtinho. O município tem 73,4% de vacinados com pelo menos uma dose em relação à população vacinável. O percentual de pessoas imunizadas é ainda menor, corresponde a 45,2% da população acima dos 15 anos. 

Confira a cobertura vacinal

Os dados levam em consideração a população vacinável, de 15 anos ou mais, estimada pelo Data SUS.

antonio joao l9AKD8D - Vacinação em massa: cobertura variou de 105% a 73% nas cidades do estudo em MS

aral m pLwcHBn - Vacinação em massa: cobertura variou de 105% a 73% nas cidades do estudo em MS

bela vista mSqXKPd - Vacinação em massa: cobertura variou de 105% a 73% nas cidades do estudo em MS

caracol 3GGsKvj - Vacinação em massa: cobertura variou de 105% a 73% nas cidades do estudo em MS

cel sapucaia - Vacinação em massa: cobertura variou de 105% a 73% nas cidades do estudo em MS

corumba 4vZRK2B - Vacinação em massa: cobertura variou de 105% a 73% nas cidades do estudo em MS

japora 61Rs8f9 - Vacinação em massa: cobertura variou de 105% a 73% nas cidades do estudo em MS

ladario PtkAyFS - Vacinação em massa: cobertura variou de 105% a 73% nas cidades do estudo em MS

mundo novo X9P7TpZ - Vacinação em massa: cobertura variou de 105% a 73% nas cidades do estudo em MS

paranhos Da1sL6N - Vacinação em massa: cobertura variou de 105% a 73% nas cidades do estudo em MS

ponta p 2 - Vacinação em massa: cobertura variou de 105% a 73% nas cidades do estudo em MS

porto murtinho NQkJmpn - Vacinação em massa: cobertura variou de 105% a 73% nas cidades do estudo em MS

- Vacinação em massa: cobertura variou de 105% a 73% nas cidades do estudo em MS

Vacinação em massa na fronteira

A vacina americana da Janssen é de aplicação única e foi utilizada para estudo epidemiológico conduzido pelo médico infectologista e pesquisador da Fiocruz, Júlio Croda. O estudo é realizado pelo grupo Vebra Covid da Fiocruz (capitaneado por Croda), com apoio da (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) e das universidades dos Estados Unidos de Stanford, Yale e Miami.

Todos acima de 18 anos, que ainda não tinham sido vacinados com outros imunizantes, tiveram a oportunidade de receber dose da Janssen nas cidades de fronteira. Os pesquisadores vão monitorar o impacto da vacina em relação à imunidade coletiva e comparar os dados com outros 13 municípios similares. Também será monitorada a incidência da doença em crianças e adolescentes, que ainda não podem receber vacina.

Veja também

A taxa de desemprego no Brasil chegou a 9,4% em abril deste ano, o menor...

Últimas notícias