Cotidiano

UFMS estuda ensino híbrido e particulares devem retomar aula presencial no 1º semestre

As instituições públicas e particulares já avaliam como será a retomada das aulas presenciais em Campo Grande

Mariane Chianezi Publicado em 23/02/2021, às 17h01 - Atualizado em 24/02/2021, às 09h42

(Foto: Divulgação UFMS)
(Foto: Divulgação UFMS) - (Foto: Divulgação UFMS)

Após a publicação do decreto municipal que autoriza as universidades a retomarem as aulas presenciais, as instituições públicas e particulares já avaliam como será a retomada das aulas presenciais em Campo Grande.

Conforme a UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul), o calendário do ano letivo de 2021 prevê o retorno das aulas dos cursos de graduação e pós-graduação para o dia 15 de março. Uma portaria publicada pela reitoria autoriza a possibilidade de ensino híbrido, ou seja, parcialmente on-line e parcialmente presencial.

“Portaria publicada ontem pela Reitoria autoriza o Ensino Híbrido em todos os campus, o que significa 100% das aulas teóricas pelo Ensino Remoto de Emergência e a possibilidade de aulas presenciais para aulas práticas quando imprescindível, de acordo com a análise de cenário de cada município e o Plano de Biossegurança de cada unidade”, disse em nota.

Particulares avaliam

A UCDB (Universidade Católica Dom Bosco) disse por meio de nota que avalia o retorno gradativo dos alunos a partir de março. “UCDB iniciará o retorno gradativo das aulas presenciais a partir da primeira quinzena de março. Já antevendo a medida, a Universidade preparou-se para atender, ao mesmo tempo, os estudantes de forma presencial e remota”, pontuou.

A universidade explicou que o aluno também poderá ir ao campus para as aulas presenciais ou poderá continuar estudando de forma remota, assistindo às aulas em tempo real. Além disso, pontuou que a capacidade das salas de aula não deve ultrapassar os 50% do permitido pelo decreto.

“O retorno de cada curso será gradativo e seguro com distanciamento social, e considerando as particularidades de cada curso. Os estudantes e docentes vão participar de capacitação que já está programada e visa reforçar as medidas de segurança”, disse.

Sem detalhar datas específicas, a Uniderp e da Anhanguera afirmou que a retomada será de forma gradual e deve acontecer ainda no primeiro semestre.

“O retorno das aulas teóricas presenciais no primeiro semestre de 2021 acontecerá seguindo as diretrizes do decreto municipal, do MEC, das autoridades de saúde e das decisões governamentais. A previsão é de que a retomada aconteça respeitando os estágios da pandemia e seguindo um rígido protocolo de segurança, higienização, medidas de proteção e distanciamento, conforme recomendado pela OMS”.

A Estácio de Sá explicou que o ano letivo já se iniciou para os acadêmicos veteranos e que ainda avalia o retorno presencial. Segundo a instituição, a presença nas salas de aula ficará a critério de cada aluno.

“A instituição mantém um canal de comunicação ativo com os alunos e irá orientá-los sobre o retorno das atividades presenciais. Quando possível, o retorno para qualquer atividade presencial será opcional. Caso o estudante opte por não retornar ao presencial, ele poderá montar a sua grade de aulas com disciplinas que serão aplicadas no formato remoto e ao vivo”, pontuou.

Aulas presenciais autorizadas

Prefeitura de Campo Grande publicou no Diogrande (Diário Oficial do Município) desta terça-feira (23) decreto que autoriza o retorno das aulas presenciais nas universidades. Além disso, amplia para 50% a lotação nas escolas particulares que já retornaram.

Conforme o texto, também podem retornar com as aulas presenciais as faculdades, cursos pré-vestibular, cursos técnicos, ensino médio e fundamental a partir do dia 8 de março.

A publicação autoriza, ainda, a ampliação de 30% para 50% a capacidade máxima de alunos por turma, desde que atenda ao distanciamento mínimo previsto no plano de biossegurança municipal, que é de 1,5 m.

*matéria atualizada às 19h para acréscimo de informação

Jornal Midiamax