Cotidiano

Crueldade: turistas matam ovelha de estimação de criança em pesqueiro de MS

Menina encontrou o animal morto em quarto e os hóspedes foram presos

Mariane Chianezi Publicado em 28/10/2021, às 14h47

None
Fala Povo, Midiamax

Uma ovelha de estimação da família proprietária de um pesqueiro em Miranda, a 214 quilômetros de Campo Grande, foi morta por dois turistas na noite da última terça-feira (26). O bicho, morto e ensanguentado, foi encontrado em um quarto pela dona, uma criança de 14 anos. Os dois suspeitos, de 40 e 43 anos, foram presos. O caso ganhou repercussão nas redes sociais nesta quinta-feira (28).

Conforme o boletim de ocorrência registrado como furto e abigeato, os suspeitos, antes de matar o bicho, brincaram com ele o dia todo, mas, à noite, o animal sumiu. A criança deu falta da ovelha e decidiu procurar, quando a encontrou no rancho onde os dois hóspedes estavam.

O registro policial detalha que os homens estavam bêbados e disseram que decidiram furtar o animal para matar e comer durante a noite. Após serem questionados pelo proprietário, eles teriam tentado fugir de caminhonete, mas foram impedidos. Eles foram presos em flagrante pela polícia e encaminhados para a delegacia de Miranda.

Revolta 

Nas redes sociais, a página da ONG de proteção aos animais Anjos & Patas publicou sobre o caso e gerou comoção dos moradores. Uma familiar dos proprietários do pesqueiro comentou na postagem que a menina ligou chorando, falando que o animal de estimação, Pérola, como era chamada a ovelha, havia sido morta pelos hóspedes. 

"Quando a polícia chegou [no pesqueiro] os dois tiveram a capacidade de falar que não foram eles. Mas fomos nas câmeras e mostra um deles pegando a Pérola e levando para o rancho. Agora eu pergunto: e se fosse uma criança? Pois, não mataram por fome, era um ritual aquilo", comenta. 

Outros internautas se revoltaram com o ocorrido. "Precisam mudar as leis de brandas para mais severas. Maltratam o animalzinho. Matam e só respondem por subtração de animal?", questiona moradora. "Que crueldade! Cadê a lei que protege os animais?", diz outra.

Jornal Midiamax