Cotidiano

Tradição leva corumbaenses ao Porto Geral para agradecer e pedir bênçãos a Iemanjá

Celebrações em nome da rainha do mar acontece novamente nesta sexta

Fábio Oruê Publicado em 31/12/2021, às 16h11

None
Foto: Diário Corumbaense

Devotos e simpatizantes voltaram a se reunir no Porto Geral de Corumbá, na noite de quinta-feira (30) para louvar Iemanjá. A prainha do Porto Geral é palco da tradição de agradecer e pedir bençãos para a rainha do mar - uma imagem de Iemanjá foi colocada no local.

Depois de um ano sem a 'reunião', nas longas filas as pessoas aguardavam a vez para tomar passe, um ritual que se caracteriza por ser a troca de energia entre aquele que o transmite e o que recebe, tendo como objetivo o reequilíbrio do corpo físico e espiritual, a limpeza das energias negativas que causam enfermidades às pessoas, harmonização dos chakras, canalização de energias espirituais, dentre outros, que irão variar segundo a necessidade de cada indivíduo, conta a tradição.

Morando em São Paulo, o corumbaense Felipe Ibarreche de Menezes, também afirmou que todos os anos, com exceção de 2020, volta à terra natal para estar presente neste momento. “Faço questão de estar aqui todos os anos, como no ano passado não vim, por conta da pandemia, estou aqui hoje. É um momento de 'limpeza', para podermos começar o ano que entra ‘novinho’. É abertura de caminho e purificação”, declarou ele ao Jornal Diário Corumbaense. 

Foto: Diário Corumbaense

Aos 80 anos, dona Pura, como é chamada, é devota de Iemanjá. “Sou filha dela. Ela é minha vida, me cuida. Todos os anos tenho essa obrigação com ela. É um sacrifício meu. Não peço a ninguém. Peço para ela e para meus orixás muita proteção. Aqui, agradeço por tudo que eu consegui esse ano e também que possa seguir firme no novo ano. Enquanto eu puder, estarei aqui, fazendo os agradecimentos e pedidos”, afirmou a religiosa. 

Como forma de agradecer, dona Pura, trouxe o barquinho cheio de "mimos" (espelhos, perfumes, batom, pentes...) que é entregue a Iemanjá, nas águas do rio Paraguai, assim, como outros devotos. “São os presentes que ela gosta, que vão por meio dos barquinhos, uma forma de agradecer. Que esse ano seja de muita saúde, ainda mais para as pessoas carentes. Que coisas melhores possam acontecer. Que essa tempestade que estamos vivendo, essa pandemia, acabe de vez”, pediu.

Imagem

Confeccionada pelo artista corumbaense Deniart, a imagem de Iemanjá, está no Porto Geral, onde ganhou a companhia de oferendas e instrumentos que caracterizam a louvação. Confeccionada à base de isopor, a imagem de Iemanjá tem 5,30 metros, com o andor, atinge pouco mais de 7 metros.

Jornal Midiamax