Cotidiano

Toque de recolher: fiscalização abordou 80 mil pessoas e fechou 1,4 mil festas em Campo Grande

Dados apontam que foram mais de 32 mil denúncias recebidas sobre aglomerações

Mylena Rocha Publicado em 23/08/2021, às 12h16

Em 17 meses, 320 pessoas acabaram presas durante fiscalizações.
Em 17 meses, 320 pessoas acabaram presas durante fiscalizações. - Divulgação/GCM

O toque de recolher chegou ao fim nesta segunda-feira (23) e Campo Grande, aos poucos, começa a retomar a ‘normalidade’. A medida que restringe a circulação nas ruas durante a noite foi adotada ainda em março do ano passado, com objetivo de evitar aglomerações e a transmissão do coronavírus. Em 17 meses, a fiscalização abordou mais de 80 mil pessoas nas ruas fora do horário permitido. 

Conforme balanço do toque de recolher, divulgado pela GCM (Guarda Civil Metropolitana), foram 80.112 pessoas abordadas nas ruas e orientadas a ficar em casa. Os meses com mais registros de descumprimento ao decreto foram dezembro e janeiro. 

Em quase um ano e meio de pandemia, foram 32.727 denúncias recebidas sobre aglomerações e descumprimento do decreto municipal. Segundo a GCM, 32.745 estabelecimentos foram fiscalizados. Ao todo, 507 comércios foram notificados e 171 chegaram a ser interditados. 

Foram 263 festas encerradas por conta de aglomeração em salões ou espaços de eventos e 1.157 festas em residências. Em 17 meses, 320 pessoas acabaram presas pela Guarda Municipal. Somando, foram 1.420 festas ou aglomerações encerradas pelas equipes de fiscalização. 

Jornal Midiamax