Cotidiano

Taxa de ocupação de leitos de UTI Covid volta a aumentar e chega a 98,6% em MS

Após passar por queda devido ao grande número de mortes, quantidade de internados volta a aumentar no Estado

Mylena Rocha Publicado em 10/04/2021, às 08h32

None
Ilustrativa/Henrique Arakaki

A taxa de ocupação de leitos voltou a aumentar em Mato Grosso do Sul. Na manhã deste sábado (10), o Estado registrou ocupação de 98,63% dos leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) destinados a pacientes com coronavírus. O número aponta um aumento na taxa de ocupação, que era de 91% na sexta-feira (9). Com o pico da pandemia, o Estado tem enfrentado superlotação no sistema de saúde há quase um mês.

Conforme dados do painel Mais Saúde, mantido pela SES (Secretaria de Estado de Saúde), 67,25% dos leitos clínicos e 98,63% dos leitos de UTI Covid estão ocupados em Mato Grosso do Sul. Considerando que o Estado tem 584 leitos de UTI Covid, restam apenas oito leitos desocupados em todo o Mato Grosso do Sul. Levando em conta o total de leitos de UTI disponíveis em MS, a taxa de ocupação é de 87,65%. 

Em relação aos leitos clínicos para pacientes com coronavírus, a taxa de ocupação é de 67,17% em MS. Considerando que são 1.261 leitos clínicos para pacientes SRAG (Síndrome Respiratória Aguda Grave) e Covid, restam 414 leitos no Estado. 

Nesta semana, a secretária-adjunta da Saúde Crhistinne Maymone comentou que o Estado teve uma leve redução nas internações. Porém, isso só aconteceu devido ao aumento de mortes em MS. “Temos tido sim, uma pequena diminuição de pacientes internados. Mas temos aumento de óbitos, o leito fica vago porque a pessoa faleceu. Infelizmente, é o que estamos vivenciando”, lamentou.

Campo Grande é a cidade mais populosa do Estado e tem a situação mais crítica na pandemia de coronavírus. A capital tem uma taxa de ocupação de 89% em relação ao número total de leitos, para pacientes de Covid e não-Covid. Em relação aos leitos clínicos gerais, a taxa de ocupação é de 59%. 

Jornal Midiamax