Cotidiano

Serviço de teleconsulta do coronavírus atendeu 100 mil pessoas em um ano em Campo Grande

O serviço de teleconsulta da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) atendeu mais de 100 mil ligações de pessoas com dúvida ou suspeita de coronavírus em Campo Grande. O serviço está em funcionamento há exato um ano, após ser desenvolvido com apoio técnico da Agetec (Agência Municipal de Tecnologia da Informação e Inovação) e da Fiocruz […]

Mylena Rocha Publicado em 31/03/2021, às 12h53

(Foto: Divulgação/PMCG)
(Foto: Divulgação/PMCG) - (Foto: Divulgação/PMCG)

O serviço de teleconsulta da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) atendeu mais de 100 mil ligações de pessoas com dúvida ou suspeita de coronavírus em Campo Grande. O serviço está em funcionamento há exato um ano, após ser desenvolvido com apoio técnico da Agetec (Agência Municipal de Tecnologia da Informação e Inovação) e da Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz).

Conforme informações da Prefeitura, o serviço de teleconsulta fez o acompanhamento e prestou todo o suporte necessário para cerca de 14 mil pessoas com suspeita de coronavírus e outras SRAGs (Sindromes Respiratórias Agudas Graves). Campo Grande foi uma das primeiras cidades do País a implementar esse tipo de serviço, utilizando a estrutura tecnológica, ferramentas e protocolos próprios, elaborados em tempo recorde. 

O sistema foi criado com o intuito de orientar e tratar os pacientes com síndrome gripal, suspeito de Covid-19, sem a necessidade de se deslocar até às unidades de saúde. Dependendo do quadro clínico apresentado na hora do atendimento, o paciente é orientado a buscar a unidade do seu grau de complexidade.

“A intenção do serviço é garantir o acesso do paciente ao serviço de saúde, mesmo que de forma remota, otimizando assim a assistência prestada. É um modelo que foi adotado em grandes centros e com resultados positivos. A pandemia impôs restrições e cuidados necessários, e as pessoas acabam evitando buscar uma unidade de saúde, sendo essa ferramenta muito importante para dar a esse paciente a orientação adequada”, destaca o secretário municipal de Saúde, José Mauro Filho.

O secretário lembra que outro ponto a ser destacado é a composição inicial do corpo técnico do sérvio, em sua maioria, formado por profissionais que pertencem ao grupo de risco, como pessoas acima de 60 anos, que foram tirados da linha de frente à época para não correrem risco, mas mesmo assim continuarão contribuindo no enfrentamento do coronavírus.

“Tivemos essa preocupação no começo, porque estes profissionais não poderiam ficar expostos. Por outro lado, nós mantivemos essa força de trabalho tão importante, porque são profissionais capacitados e com muita experiência o que certamente fizeram toda a diferença nesse processo”, complementa.

A estrutura física do serviço foi implementada em duas salas do prédio em anexo ao Complexo Regulador com apoio da Secretaria Estadual de Saúde (SES), seguindo todos os protocolos Ministério da Saúde, entre eles o espaçamento de 1,5m a 2m entre cada servidor. Além do atendimento a casos suspeitos, o serviço também está disponível para tirar dúvidas sobre o processo de imunização contra a Covid-19.

O serviço de teleconsulta funciona diariamente de 07h às 19h. Ao ligar no número, o paciente ouvirá uma gravação explicativa sobre o coronavírus, principais sintomas e cuidados. A recepção será feita pelo videofonista que irá colher o histórico da pessoa, com base em um questionário pré-estabelecido, que será inserido no sistema. Posteriormente, o paciente será transferido para a equipe médica de teleatendimento.

(com informações da PMCG)

Jornal Midiamax