Cotidiano

Porto Esperança conta com duas frentes de combate ao incêndio no Pantanal em MS

Trabalho é manual e Bombeiros utilizam abafadores para extinguir as chamas

Mylena Rocha Publicado em 29/09/2021, às 11h56

Fogo continua e há duas frentes atuando no combate ao incêndio.
Fogo continua e há duas frentes atuando no combate ao incêndio. - Divulgação/Corpo de Bombeiros

O incêndio continua na região de Porto Esperança, distrito localizado no Pantanal sul-mato-grossense. Guarnições do Corpo de Bombeiros foram encaminhadas ao local na manhã de terça-feira(28), quando as chamas eram vistas de longe. Nesta quarta (29), o fogo continua e há duas frentes atuando no combate ao incêndio. 

Para extinguir as chamas, o trabalho é manual. Em imagens encaminhadas pelo Corpo de Bombeiros, é possível ver os militares atuando no combate ao fogo com o uso de abafadores. Os equipamentos são usados no combate direto ao fogo apagando-o por abafamento, prática comum em incêndios florestais. 

Conforme informações divulgadas pelo Corpo de Bombeiros, há duas frentes de combate ao incêndio em Porto Esperança: ao sul e ao leste, nas imediações da comunidade. “Abrimos outra frente de combate ao leste, há uma GCIF (Guarnição de Combate a Incêndio Florestal) nessa frente”, informou o comandante da operação, tenente-coronel Meirelles.

Focos de incêndio no Morro do Urucum e baía do Tuiuiú

Há focos de incêndio espalhados em diferentes regiões do Pantanal. Além de Porto Esperança, o fogo também mobilizou militares para o Morro do Urucum. O fogo começou na noite de terça (28) e continua nesta manhã. Depois de uma noite intensa de combate, o incêndio do topo do Morro do Urucum foi controlado na região do Pantanal sul-mato-grossense. O local tem cerca de mil metros de altitude e os Bombeiros devem permanecer na região até que os focos de calor sejam extintos. Com focos em pontos íngremes, aeronaves poderão ser utilizadas para auxiliar no combate às chamas.

Também nesta semana, equipes do Corpo de Bombeiros se deslocaram para a região da Baía Tuiuiú, onde famílias inteiras foram resgatadas após a ventania espalhar o fogo e ameaçar a vida dos ribeirinhos. Na baía, a ventania jogou as labaredas para a outra margem do Rio Paraguai, a uma distância de 260 metros. Para atuar na região, foram deslocadas três equipes com 15 bombeiros.

Na segunda-feira (27), as equipes abasteceram três barcos com mantimentos e equipamentos para montar a base avançada para os Bombeiros em uma propriedade rural próxima ao fogo. A ideia é que os militares fiquem no local 24 horas por dia, atuando no combate às chamas dia e noite. “A gente vai para a baía Tuiuiú e não sabemos quando vamos voltar”, disse o tenente-coronel. 

Jornal Midiamax