Cotidiano

Por pandemia, Procon suspende fiscalização de cobrança indevida em postos de combustíveis

O Procon-MS decidiu suspender a fiscalização de cobrança indevida em postos de combustíveis em Campo Grande. O motivo é o avanço do número de casos graves de Covid-19 e a medida foi adotada como forma de preservar as equipes de fiscalização. Conforme nota oficial do órgão, o Procon “achou por bem suspender, temporariamente, a fiscalização […]

Gabriel Maymone Publicado em 11/03/2021, às 11h19

Fiscalização em postos de combustíveis é suspensa. (Foto: Marcos Ermínio, Midiamax)
Fiscalização em postos de combustíveis é suspensa. (Foto: Marcos Ermínio, Midiamax) - Fiscalização em postos de combustíveis é suspensa. (Foto: Marcos Ermínio, Midiamax)

O Procon-MS decidiu suspender a fiscalização de cobrança indevida em postos de combustíveis em Campo Grande. O motivo é o avanço do número de casos graves de Covid-19 e a medida foi adotada como forma de preservar as equipes de fiscalização.

Conforme nota oficial do órgão, o Procon “achou por bem suspender, temporariamente, a fiscalização deflagrada nos postos de combustíveis”.

De acordo com o superintendente Marcelo Salomão, “mesmo havendo necessidade de verificar possíveis irregularidades cometidas por proprietários dos postos, nada justifica expor profissionais tanto do Procon Estadual como do Municipal, da Decon e da ANP [Agência Nacional do Petróleo]. Temos de levar em consideração que a vida das pessoas é o que deve ser tratada com seriedade”, pontuou.

Operação

A operação conta com a Decon (Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes Contra as Relações de Consumo), Procon Estadual e ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis). A fiscalização começou em um posto de combustíveis localizado na avenida Calógeras e passou por mais oito estabelecimentos na quarta (10).

A operação já estava prevista, mas o novo reajuste no preço dos combustíveis anunciado pela Petrobras adiantou a operação. O objetivo é verificar a irregularidade na qualidade do combustível, o preço e o funcionamento das bombas.

Um dos alvos eram postos que aplicaram reajuste no combustível ainda em estoque, antes da chegada da mercadoria com o novo preço.

Jornal Midiamax