Cotidiano

No pico da pandemia, cirurgias eletivas voltam a ser suspensas em Campo Grande

A Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) voltou a suspender a realização de cirurgias eletivas na rede pública da Capital. A resolução foi publicada em edição extra do Diogrande (Diário Oficial de Campo Grande) nesta quarta-feira (24). Ao assinar a medida, o secretário José Mauro de Castro Filho levou em conta a pandemia de Covid-19, que […]

Adriel Mattos Publicado em 24/03/2021, às 17h49 - Atualizado às 18h07

Sede da Secretaria Municipal de Saúde de Campo Grande. (Foto: Divulgação)
Sede da Secretaria Municipal de Saúde de Campo Grande. (Foto: Divulgação) - Sede da Secretaria Municipal de Saúde de Campo Grande. (Foto: Divulgação)

A Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) voltou a suspender a realização de cirurgias eletivas na rede pública da Capital. A resolução foi publicada em edição extra do Diogrande (Diário Oficial de Campo Grande) nesta quarta-feira (24).

Ao assinar a medida, o secretário José Mauro de Castro Filho levou em conta a pandemia de Covid-19, que voltou a crescer no Estado e atingiu novo pico; além da sobrecarga na rede de saúde, que enfrenta escassez de medicamentos para intubação.

A medida não se aplica às linhas de cuidado em cardiologia, urologia, oftalmologia, oncologia e nefrologia, além de procedimentos considerados essenciais. Hospitais privados e que não atendem pelo SUS (Sistema Único de Saúde) não estão cobertos pela resolução.

No ano passado, ainda no início da pandemia, a SES (Secretaria de Estado de Saúde) tomou a mesma medida, mas retomou as cirurgias após os números apresentarem queda.

Apesar de poderem realizar os procedimentos, hospitais particulares da Capital já adotaram a medida. O Hospital da Unimed suspendeu as eletivas e o Hospital da Cassems voltou a montar unidade de campanha.

Jornal Midiamax