Cotidiano

MS começa nesta quinta-feira vacinação da dose reforço da Janssen

Com 200 mil doses no Estado, Campo Grande e Corumbá já confirmaram início da vacinação

Mylena Rocha Publicado em 08/12/2021, às 16h50

Para receber o reforço, é preciso aguardar o intervalo mínimo de dois meses após a D1.
Para receber o reforço, é preciso aguardar o intervalo mínimo de dois meses após a D1. - Marcos Ermínio/Midiamax

As 200 mil doses da vacina da Janssen chegaram a Mato Grosso do Sul nesta manhã e a aplicação do reforço começa na quinta-feira (9) nos municípios. Cidades como Campo Grande e Corumbá já confirmaram o início da aplicação da dose de reforço, tarefa que deve ser cumprida em municípios de todo o Estado. A aplicação da D2 de Janssen deve ser homóloga ou seja, é feita em quem tomou a primeira dose do mesmo imunizante. Para receber o reforço, é preciso aguardar o intervalo mínimo de dois meses após a D1. 

Ao todo, Campo Grande recebeu 33.240 doses da vacina da Janssen nesta tarde. De acordo com a Sesau (Secretaria Municipal de Saúde), a aplicação do reforço começa na quinta (9) à tarde, de acordo com a data de aplicação da segunda dose. O calendário completo com os públicos e os locais de imunização deve ser divulgado nas redes sociais da Sesau no fim da tarde.

Corumbá é outra cidade que já confirmou o início da aplicação do reforço. A Prefeitura de Corumbá anunciou que a vacina da Janssen será disponibilizada nesta quinta (9) para pessoas com 30 anos ou mais que tenham tomado a primeira dose há pelo menos dois meses. O município ainda ressalta que a Janssen é contraindicada para gestantes e puérperas (mulheres com até 45 dias pós-parto). Confira os locais aqui. 

As 200.200 doses da vacina Janssen chegaram na manhã desta quarta-feira (8), sendo que metade fica com a região de fronteira em MS. As doses começaram a ser distribuídas a partir das 13h30 na Ceve (Coordenadoria Estadual de Vigilância Epidemiológica) em Campo Grande. De acordo com a SES (Secretaria de Estado de Saúde), 100.030 doses da vacina Janssen serão distribuídas para os seguintes municípios de fronteira: Antônio João, Aral Moreira, Bela Vista, Caracol, Coronel Sapucaia, Corumbá, Japorã, Ladário, Mundo Novo, Paranhos, Ponta Porã, Porto Murtinho e Sete Quedas.

“Os demais quantitativos, 100.170 doses da Janssen, serão distribuídas proporcionalmente para os demais municípios do Estado para a imunização da população acima de 18 anos”, explicou o secretário estadual de saúde Geraldo Resende.

Campo Grande prepara calendário para reforço com Janssen

A Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) informou queo calendário de vacinação para a dose de reforço será divulgado. Ainda sem definição de qual público iniciará a imunização, a secretaria adiantou que as doses estão disponíveis nos mesmos locais onde seguem as aplicações das demais vacinas. Nesta quarta-feira, 43 unidades vacinam os moradores.

Dados do Vacinômetro da SES (Secretaria de Estado de Saúde) apontam que 10,10% da população foi vacinada com a Janssen, considerando a população apta a vacinar, ou seja, a partir dos 12 anos. Campo Grande foi a cidade que mais aplicou doses da vacina, foram 45.539 pessoas vacinadas. Agora, a cidade precisa receber o mesmo quantitativo de doses para conseguir aplicar a 2ª dose na população.

Estudo com Janssen apontou eficácia de 90% contra mortes em MS

Depois de vacinar a população adulta nas 13 cidades de fronteira de Mato Grosso do Sul com a dose da vacina Janssen, o estudo de imunização em massa teve resultados divulgados. Os resultados foram positivos: o imunizante tem eficácia de 90,5% contra mortes por covid

A vacina americana da Janssen foi utilizada para estudo epidemiológico conduzido pelo médico infectologista e pesquisador da Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz) Júlio Croda. Todos acima de 18 anos, que ainda não tinham sido vacinados com outros imunizantes, tiveram a oportunidade de receber dose da Janssen nas cidades de fronteira. 

A eficácia da vacina da Janssen contra casos sintomáticos de covid foi de 50,9% após 28 dias da aplicação. O estudo ainda aponta uma eficácia de 72,9% contra hospitalizações e 92,5% para internações em leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva). As análises ainda mostraram ótimos resultados sobre os efeitos da vacinação no caso de mortes por coronavírus, com uma eficácia de 90,5%. 

Jornal Midiamax