Cotidiano

Mais de 30 mil estão com 2ª dose atrasada e MS espera receber Coronavac até sexta-feira

Para amenizar atraso, SES destina 4,4 mil doses de indígenas para imunização atrasada

Gabriel Maymone Publicado em 03/05/2021, às 09h15

Vacinas para retomar aplicação da 2ª dose devem chegar ainda esta semana a MS
Vacinas para retomar aplicação da 2ª dose devem chegar ainda esta semana a MS - Henrique Arakaki / Midiamax

Atraso no envio de mais doses de CoronaVac ao Ministério da Saúde pelo Instituto Butantan fez com que cerca de 30 mil pessoas em Mato Grosso do Sul perdessem o prazo para receber a 2ª dose do imunizante. De acordo com o Instituto, a expectativa é enviar mais 1 milhão de doses na quinta ao Ministério da Saúde. Desta forma, até sexta, o Estado teria mais doses para dar seguimento às aplicações. 

Conforme o secretário estadual de saúde de MS, Geraldo Resende, a expectative é que mais doses da vacina cheguem para aplicação dos atrasados da 2ª dose. Além disso, para amenizar o atraso, a Saúde destina 4,4 mil das 5,6 mil doses recebidas na semana passada para vacinar indígenas para distribuir aos municípios, para que apliquem a 2ª dose em quem estiver com imunização atrasada por mais tempo.

Assim como pelo menos outras 21 cidades de Mato Grosso do Sul, Campo Grande sofre com a falta de doses da Coronavac. O atraso do envio feito pelo Ministério da Saúde, fez com que diversas pessoas do grupo de risco para o coronavírus não completassem a imunização no prazo determinado pela bula do imunizante, de 28 dias. 

Levantamento da CNM (Confederação Nacional dos Municípios) mostra que faltaram doses para a segunda aplicação da vacina contra a Covid-19 em 74,4% dos municípios de Mato Grosso do Sul. 

Em Campo Grande, desde o dia 25 de abril não é feita a aplicação da 2ª dose de Coronavac. Na data, foi possível realizar a vacinação em pessoas que estavam agendadas para até o dia 20 de abril. Ou seja, quem estava marcado para receber o reforço na imunização no dia 21 de abril já está com 13 dias de atraso.

Retomada da produção da Coronavac

A direção do Instituto Butantn afirmou que iria reotmar a entrega de Coronavac a partir desta segunda-feira (03) ao Ministério da Saúde.

No fim de março, o governo federal passou a orientar que não era mais preciso reservar metade dos lotes da Coronavac para garantir a segunda dose. 

Então, existem três grupos prioritários que ainda precisam da segunda aplicação da Coronavac em todo o Brasil. São: 3% dos trabalhadores da saúde, 6,2% das forças de segurança, salvamento e Forças Armadas e 1,9% dos idosos entre 60 e 64 anos.

Apesar do atraso, o Ministério da Saúde adverte que as pessoas precisam buscar a segunda dose. Quando forem chamados para aplicação, vacinados com a Coronavac devem ir até um ponto de vacinação e completar a imunização contra Covid-19.

Jornal Midiamax