Cotidiano

Mães fazem protesto contra fechamento de creche irregular em Campo Grande: 'estamos desesperadas'

Mesmo irregular, local é querido pelas mães, que viam a creche como um bom lugar para deixar os filhos enquanto saíam para trabalhar

João Ramos Publicado em 04/12/2021, às 21h41

Algumas pessoas na manifestação deste sábado
Algumas pessoas na manifestação deste sábado - (Foto: Arquivo Pessoal)

Mais de 12 pessoas, incluindo mães, pais e crianças, participaram de um protesto no início da noite deste sábado (4) em Campo Grande. A reivindicação, segundo moradora, é pela abertura de uma creche irregular que foi fechada esta semana no bairro Vida Nova na Capital.

"Queremos que o espaço volte a funcionar, e que elas [donas] tenham a oportunidade de se readequar às exigências que a vigilância está pedindo, mas com o espaço aberto. Porque nós, os pais, não temos onde deixar as crianças em um lugar confiável", declarou a farmacêutica Josemary Ferreira, que deixava sua criança na creche fechada.

"Estamos desesperados porque são muitas crianças. A gente deixa nesse local porque é um lugar bom, bem indicado, de confiança para nós mães. Tem várias mães que não puderam participar, mas gostam do local. As crianças gostam e estão sentindo falta. Nunca tivemos um problema", disse ela ao Jornal Midiamax.

Apelos

Contrários ao fechamento e seguros do serviço educacional prestado, pais se reuniram para pedir que as portas voltem a abrir. Mãe de Lara, que ficava na creche, Rosely também gostaria que a creche voltasse a funcionar. "São muitas mães que trabalham e precisam desse lugar, que é muito bom para as crianças. Se abrir eu tenho certeza que a dona vai adequar tudo o que precisar lá", disse ela.

"Preciso trabalhar e preciso de um lugar de confiança pra deixar minha filha. Ela gosta muito do espaço, está me cobrando muito pra voltar. É um lugar de confiança, então é onde as crianças são bem cuidadas. Eu estou muito triste e indignada, com essa situação de ter sido fechado dessa forma como foi", comentou a mãe de outra criança, que não quis ser identificada.

Pai de aluno da creche, Rudomis se compromete a ajudar em tudo o que for possível para a adequação do local às exigências da vigilância sanitária. "Para que nossas crianças voltem o mais rápido possível para o espaço, que está fazendo muita falta", afrmou.

"Meu filho depois que entrou lá desenvolveu muito com a ajuda das professoras, elas são uns amores e cuidam das crianças com todo carinho, como se fossem filhos delas, foi muito ruim o que aconteceu. Eu tive que sair do meu serviço por causa desse fechamento, porque não temos com quem deixar", declarou outra mãe.

"Se conseguirem doação de material, recurso para fazer a obra que atenda os requisitos, para deixarmos as nossas crianças no espaço, eu estou à disposição. Trabalho com obra e estou disposto a oferecer meu trabalho como apoio, porque o espaço é um lugar de muita confiança", se ofereceu um pai, que não se identificou.

Decisão

A creche irregular foi fechada nesta semana no bairro Vida Nova na região do Nova Lima, em Campo Grande. O local foi interditado após irregularidades, como falta de autorização para funcionar, problemas na estrutura e apenas quatro cuidadoras para tomar conta de 58 crianças. Mesmo irregular, o local é querido pelas mães, que viam a creche como um bom lugar para deixar os filhos enquanto saíam para trabalhar. 

O espaço funcionava em uma casa do bairro e está vazia. No local, é possível ver apenas uma placa com a interdição, feita pela Vigilância Sanitária. A creche foi interditada depois de uma denúncia do Conselho Tutelar, que informou sobre o funcionamento irregular. 

Segundo informações da equipe que esteve na fiscalização, foi feita uma visita que identificou 58 crianças de diferentes idades, de 6 meses a 10 anos, misturadas e sendo cuidadas por apenas quatro monitoras. Os relatos são de que a creche não cumpria nem as normas de biossegurança: todos estavam sem máscaras. Além disso, não havia estrutura para oferecer as atividades às crianças, como mesas e cadeiras. 

"A creche não possuía nenhuma documentação autorizando o funcionamento e também não atendia às normativas da Vigilância Sanitária", informou a Prefeitura de Campo Grande.  Diante das irregularidades, a equipe da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) entrou em contato com os pais para que pudessem buscar seus filhos. No dia seguinte, a creche foi interditada. 

Para que o estabelecimento possa abrir novamente, será preciso se adequar às normas. "Para retornar às atividades, os responsáveis pelo estabelecimento deverão pedir a desinterdição do local com o objetivo de corrigir as irregularidades dentro de um prazo estipulado, de toda forma, as atividades não poderão retornar até que sejam sanados os problemas elencados", reforçou. a Sesau.

Jornal Midiamax