Cotidiano

Lojistas discutem isenção de IPTU e ISS para bancar ‘fecha tudo’ em Campo Grande

Comerciantes discutem isenção parcial de impostos durante reunião. A discussão foi marcada depois que município anunciou um ‘fecha tudo’.

Mylena Rocha Publicado em 19/03/2021, às 09h13 - Atualizado às 11h48

(Foto: Henrique Arakaki, Midiamax)
(Foto: Henrique Arakaki, Midiamax) - (Foto: Henrique Arakaki, Midiamax)

Comerciantes discutem isenção parcial de impostos durante reunião com a Prefeitura de Campo Grande nesta sexta-feira (19). A reunião foi marcada depois que o município anunciou um ‘fecha tudo’ para a semana que vem, como medida para barrar o coronavírus.

A reunião acontece durante a manhã, quando a administração municipal dará uma resposta aos pedidos dos lojistas. Diante da dificuldade na pandemia de coronavírus e com o fechamento do comércio na próxima semana, lojistas pedem auxílio e diálogo também com o Governo do Estado.

O presidente da CDL (Câmara de Dirigentes Lojistas) de Campo Grande, Adelaido Vila, explica que o pedido do setor foi de prorrogação de prazos de pagamento e de isenção parcial de impostos. “Não temos conseguido trabalhar por conta da pandemia, pedimos isenção parcial dos impostos municipais, como IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano) e ISS (Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza)”, explica.

Adelaido Vila ainda ressalta que pediu à Prefeitura que faça a interlocução com o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) sobre a isenção parcial de impostos estaduais, como o ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços). O presidente da CDL ressalta que os lojistas tem passado por muitas dificuldades no enfrentamento da pandemia de coronavírus. 

Com a antecipação dos feriados, Vila diz que espera a colaboração da população. Ele conta que é preciso manter o distanciamento e ficar em casa nos próximos dias, também como uma forma de ajudar os comerciantes da Capital. 

Alternativa ao lockdown

O prefeito Marquinhos Trad (PSD) anunciou na tarde de quinta-feira (19) que descarta lockdown, mas que decidiu antecipar feriados para a semana que vem. De segunda (22) a sexta-feira (26), só poderão funcionar serviços listados no decreto.

Marquinhos disse que não foi decretado lockdown na cidade porque a avaliação é que diminuindo o horário de circulação das pessoas na cidade com a antecipação dos feriados, haverá diminuição do contágio.

“Não há necessidade de lockdown. Há a necessidade de um prazo para evitarmos esse colapso. Acontece que as pessoas que ocupam os leitos de UTI, muitos deles não vem da Covid, a gente evitando a circulação de pessoas e diminuindo os horários da noite, podemos cuidar de quem está com Covid”, disse o prefeito.

Jornal Midiamax