Indígenas de MS começam a receber as primeiras cestas básicas de 2021

Desde o dia 5 de janeiro, os indígenas de Mato Grosso do Sul começaram a receber as primeiras cestas básicas, das 18 mil entregues mensalmente nas aldeias e que devem totalizar 216 mil unidades até o final do ano. As informações são da Sedhast (Secretaria de Estado de Direitos Humanos, Assistência Social e Trabalho). As […]
| 12/01/2021
- 15:38
Indígenas de MS começam a receber as primeiras cestas básicas de 2021
Indígenas durante entrega de cestas básicas.(Foto: Monique Alves) - Indígenas durante entrega de cestas básicas.(Foto: Monique Alves)

Desde o dia 5 de janeiro, os indígenas de começaram a receber as primeiras cestas básicas, das 18 mil entregues mensalmente nas aldeias e que devem totalizar 216 mil unidades até o final do ano. As informações são da Sedhast (Secretaria de Estado de Direitos Humanos, Assistência Social e Trabalho).

As mais de 18 mil cestas alimentares, com mais de 25 quilos cada, compreendem uma ação que garante segurança alimentar aos indígenas de Mato Grosso do Sul. Cada cesta alimentar é composta por 21 itens, como por exemplo, arroz, feijão e carne, chegando em 13 municípios com aldeias, segundo a Sedhast.

“Nossas equipes da Superintendência de Benefícios Sociais (SUBS) da Sedhast já começaram as entregas neste ano desde o último dia 5. Além da entrega, nossas equipes também conversam com as pessoas e verificam situações de novas famílias que migraram de uma aldeia para outra, ou ainda de casos de novas formações familiares”, explica o secretário interino Adriano Chadid.

Aguardadas pelas comunidades, as cestas básicas entreguem pelo Governo do Estado somam-se às cestas da (Fundação Nacional do Índio, mas não são suficientes para atendimento de todas as famílias indígenas, como acontece nas aldeias de Dourados.

“Essas cestas entregues aqui na nossa aldeia não é suficiente para garantir o sustento de muitas famílias. Está na hora de haver um novo recadastramento para atualizar as informações sobre o real número de moradores que estão passando necessidade”, relata uma indígena da Aldeia Jaguapiru.

Segundo ela, existem alguns casos, tanto na Jaguapiru quanto na Bororó, que contam com o apoio de alguns amigos da cidade que fazem doações. Além disso, a indígena também conta, que existe solidariedade entre alguns moradores que partilham alguns alimentos com aquelas famílias mais números.

Veja também

Prefeitura de Campo Grande inicia novo trecho de obras na Rua Sete de Setembro, nesta...

Últimas notícias