Cotidiano

Horário de pico: tarifa de aplicativos dispara em dia de protestos em Campo Grande

Em dia marcado por paralisação de motoristas em protesto contra a alta no valor do combustível em Mato Grosso do Sul, os moradores enfrentam dificuldades para solicitar corridas em Campo Grande. Com a escassez de carros disponíveis, os valores dispararam na região Central e preço dinâmico tem deixado corridas até 160% mais caras. Pelo horário […]

Mariane Chianezi Publicado em 17/03/2021, às 18h27 - Atualizado às 18h30

Foto: Leonardo de França, Midiamax
Foto: Leonardo de França, Midiamax - Foto: Leonardo de França, Midiamax

Em dia marcado por paralisação de motoristas em protesto contra a alta no valor do combustível em Mato Grosso do Sul, os moradores enfrentam dificuldades para solicitar corridas em Campo Grande. Com a escassez de carros disponíveis, os valores dispararam na região Central e preço dinâmico tem deixado corridas até 160% mais caras.

Horário de pico: tarifa de aplicativos dispara em dia de protestos em Campo Grande

os valores triplicaramquem normalmente pagaria R$ 14corrida avaliada em R$ 36

O motivo da paralisação dos motoristas é o alta preço da gasolina no Estado. A estimativa era de que 500 motoristas deveriam cruzar os braços por 24 horas em Campo Grande. Pela manhã, a categoria ainda realizou uma carreata ás 8 horas com mobilização em frente à governadoria.

O presidente a Applic-MS (Associação de Parceiros de Aplicativos de Transporte de Passageiros e Motorista Autônomo de Mato Grosso do Sul), Paulo Pinheiro, avaliou que o movimento atingiu o objetivo e aguarda futuras decisões das plataformas.

Manifestação e buzinaço

Depois do buzinaço em frente à Governadoria nesta quarta-feira(17), motoristas de aplicativo se manifestaram em frente à Câmara Municipal e à Prefeitura de Campo Grande. Os motoristas pararam e buzinaram por cinco minutos em frente à Prefeitura, bloqueando o trânsito na avenida Afonso Pena no sentido Aeroporto.

O protesto é realizado desde as 9h, quando manifestantes se reuniram na entrada do Parque dos Poderes para pressionar a redução do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços). Os veículos seguem em carreata até o Aeroporto de Campo Grande.

Depois do buzinaço na Governadoria, os motoristas de aplicativo saíram do Parque dos Poderes e seguiram para a Câmara Municipal de Campo Grande. Por lá, eles fizeram o buzinaço por cinco minutos. O mesmo procedimento foi feito em frente à Prefeitura avenida Afonso Pena, que por ser a principal via da Capital, ficou congestionada durante o buzinaço. Em frente ao Paço Municipal, havia agentes da Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito).

Jornal Midiamax