Cotidiano

Fim de semana terá campanha de multivacinação em shoppings de Campo Grande

Até o momento, 8.815 crianças e adolescentes compareceram a um ponto de vacinação na Capital

Fábio Oruê Publicado em 22/10/2021, às 16h56

Pontos de vacinação ficarão abertos entre 11h e 19h
Pontos de vacinação ficarão abertos entre 11h e 19h - Foto: Divulgação/ PMCG

Neste final de semana, o último da campanha de multivacinação para atualização da caderneta de crianças e adolescentes menores de 15 anos, a prefeitura irá realizar ação em dois shoppings de Campo Grande. Os pontos de vacinação ficarão abertos entre 11h e 19h no Norte Sul Plaza e no Shopping Bosque dos Ipês.

A Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) quer facilitar ainda mais o acesso às vacinas, uma vez que muitos pais e responsáveis por estas crianças passam a semana inteira trabalhando e, nos dias de folga, optam por passar um tempo passeando com a família.

“Todas as doses estarão disponíveis, é só apresentar a caderneta de vacinação que, se houver atraso em alguma, ela será atualizada conforme a necessidade da criança ou adolescente”, explica o secretário municipal de saúde, José Mauro Filho.

Ao todo são 18 imunizantes disponíveis, que protegem contra doenças graves, como febre amarela, tuberculose, sarampo, catapora e caxumba, coqueluche, meningite e poliomielite, por exemplo. A campanha vai até o dia 29 de outubro. 

Balanço

A campanha começou no início deste mês, e, até o momento, 8.815 crianças e adolescentes compareceram a um ponto de vacinação para verificar se havia necessidade de aplicação da vacina, em 69% dos casos, ou seja, 6.091 crianças, houve a necessidade de atualização da caderneta.

Segundo o secretário, isso não significa que em todos os casos havia atraso, como é o caso de crianças menores de um ano de idade, que recebe quase mensalmente um imunizante.

“Mas ainda assim a baixa adesão é preocupante, porque não há como sabermos quantas crianças estão com as vacinas atrasadas, uma vez que é rotina, e mesmo assim os responsáveis por elas não estão procurando as unidades para confirmar se há dose a ser aplicada”, lamenta o titular da pasta.

Jornal Midiamax