Caminhoneiros protestam, nesta segunda-feira (12), e fecham a da e , a 417 quilômetros de Campo Grande, para acesso de transporte de cargas. Os manifestantes pedem mais atenção e ajuda aos moradores que sofrem com a crise econômica causada pelo impacto do coronavírus.

Conforme o Diário Corumbaense, os bolivianos pedem a prorrogação por mais seis meses de empréstimos bancários às famílias do setor de transporte pesado. Na fronteira com o Estado, o bloqueio acontece entre a Avenida Luis Salazar de la Vega e Bolivar. Apenas os caros de passeio e motos estão com acesso liberado em uma das vias.

O presidente do setor da Província German Busch, Angel Saavedra, do país vizinho, disse que o pretende ser pacífico, porém, sem a resposta das autoridades em 24 horas, a partir de quarta-feira (13), pretendem bloquear as duas vias, liberando aos poucos em caso de congestionamento.

Em setembro do ano passado, manifestantes na cidade de Puerto Quijarro, reivindicavam as dificuldades no setor por conta do bloqueio com a fronteira de Corumbá e a crise financeira que as cidades vizinhas enfrentavam em decorrência da Covid-19.