Cotidiano

E se faltar energia? Saiba como MS garante armazenamento das vacinas contra Covid-19

Mato Grosso do Sul já recebeu mais de 222 mil doses da vacina contra a Covid-19, o novo coronavírus, que foram distribuídas para os 79 municípios do estado. Para garantir a imunização da população, as cidades devem garantir armazenamento seguro das doses, que estão sujeitas a riscos externos, como a falta de energia. Com a […]

Mariane Chianezi Publicado em 16/02/2021, às 10h30 - Atualizado às 15h57

Frasco da Coronavac. (Foto ilustrativa | Henrique Arakaki, Jornal Midiamax)
Frasco da Coronavac. (Foto ilustrativa | Henrique Arakaki, Jornal Midiamax) - Frasco da Coronavac. (Foto ilustrativa | Henrique Arakaki, Jornal Midiamax)

Mato Grosso do Sul já recebeu mais de 222 mil doses da vacina contra a Covid-19, o novo coronavírus, que foram distribuídas para os 79 municípios do estado. Para garantir a imunização da população, as cidades devem garantir armazenamento seguro das doses, que estão sujeitas a riscos externos, como a falta de energia.

Com a previsão indicando chuvas e trovoadas torrenciais nos próximos dias, a queda de energia em determinadas regiões pode ser crucial. No Rio de Janeiro, por exemplo, no Hospital Federal de Bonsucesso, 726 doses da CoronaVac, produzida no Instituto Butantan, acabou ficando inutilizáveis após uma queda de energia, que prejudicou o armazenamento.

Em MS, os municípios foram orientados com base no Plano Nacional de Imunização contra a Covid-19. De acordo com a SES (Secretaria Estadual de Saúde) as doses foram disponibilizadas apenas para as cidades que têm locais com depósitos adequados.

E se faltar energia? Saiba como MS garante armazenamento das vacinas contra Covid-19
Câmaras frias para armazenamento de vacinas | Foto: Ilustrativa

No estado são 597 salas de vacinas distribuídas nos 79 municípios, todos com imunobiológicos, sendo vacinas, soros e imunoglobulinas a uma temperatura de 2°C a 8°C.

Para garantir que as doses das vacinas fiquem seguras em qualquer situação, como a falta de energia, a SES explicou que os municípios têm geradores de energia elétrica, sistema nobreak ou câmaras refrigeradas com autonomia de resfriamento de até 72 horas.

Em Campo Grande, a Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) explicou que as doses dos imunizantes contra o coronavírus foram disponibilizadas apenas para aquelas que têm câmara fria com sistema especial.

“Esses equipamentos possuem um sistema de manutenção da temperatura em caso de queda de energia, enviando avisos também à equipe da unidade e da câmara fria do Município para evitar a perda de doses”, disse em nota à reportagem.

Em dezembro de 2020, a Prefeitura Municipal adquiriu 15 novas câmaras frias para o armazenamento das doses da vacina. Na ocasião, o secretário da Sesau, José Mauro Filho, disse que as novas câmaras tem autonomia de 48 horas em caso de queda de luz.

“Esse tipo de equipamento nos permite ainda saber quanto há uma oscilação de energia na rede e é munido de um sistema de manutenção de temperatura crítica em caso de falta de energia elétrica, garantindo por bloco de material criogênico, além de um sistema de emergência para autonomia de até 48h na falta de energia elétrica”, pontuou.

Jornal Midiamax