Cotidiano

Dona de lanchonete que perdeu tudo após incêndio pede ajuda para recomeçar

Em poucos minutos, as chamas destruíram fogão, geladeira, estufa e diversos outros utensílios

Gabriel Neves Publicado em 01/10/2021, às 08h49

Gleice Helen chora ao ver incêndio destruir lanchonete
Gleice Helen chora ao ver incêndio destruir lanchonete - (Foto: Henrique Arakaki/Midiamax)

Gleice Helen da Silva, de 32 anos, viu seu ‘ganha-pão’ de oito anos ser consumido pelas chamas, após um incêndio atingir uma vila de casas onde ficava sua lanchonete na manhã desta quinta-feira (30). O fogo destruiu todos seus equipamentos como fogão, geladeira, estufa e utensílios de cozinha.

Sem muitos recursos, os eletrodomésticos utilizados nos poucos metros quadrados onde a lanchonete funcionava, eram os mesmos utilizados na residência de Gleice. “Agora eu estou usando a geladeira e fogão da minha mãe, já que eu utilizava os da minha casa na lanchonete”, comentou.

Mãe de um menino, de 16 anos, e uma menina, de 8 anos, ela não se deixa abalar pela tragédia e já pensa em começar um novo negócio, modesto e em casa. ‘Eu quero montar um delivery de salgados e açaí, porque os custos para produzir são menores”. Sem faltar vontade, Helen esbarra no financeiro para recomeçar, “preciso de pelo menos uma geladeira e um fogão”.

Sem dinheiro para comprar os eletrodomésticos. Gleice disponibilizou uma chave Pix para receber doações. “Quero começar quanto antes, porque ainda tem as contas da lanchonete que preciso pagar, por enquanto minha mãe e meu padrasto vão me ajudando”.

Interessados em ajudar podem realizar as doações para 021.594.031-80 ou entrar em contato com o número (67) 99168-4389.

O incêndio

O incêndio que destruiu a lanchonete de Gleice ocorreu na manhã desta quinta-feira (30) na rua Monte Castelo, em Campo Grande. No momento, diversas pessoas ainda estavam dormindo e foram retiradas do local pelo Corpo de Bombeiros.

Apesar do susto, nenhum morador ficou ferido. Foram utilizados aproximadamente 2 mil litros de água para conter as chamas.

Jornal Midiamax