Cotidiano

Com greve nos aplicativos, ônibus ficam ainda mais cheios em Campo Grande

Com a paralisação de motoristas por aplicativo, usuários do transporte coletivo sentiram que houve um leve aumento no número de passageiros nos ônibus em Campo Grande. Apesar de não ser uma diferença expressiva, passageiros relataram que sentiram os ônibus e terminais um pouco mais cheios do que o normal nesta quarta-feira (17). Para os trabalhadores […]

Mylena Rocha Publicado em 17/03/2021, às 08h13 - Atualizado às 10h43

None
Passageiros sentiram diferença com greve nos apps. (Foto: Marcos Ermínio)

Com a paralisação de motoristas por aplicativo, usuários do transporte coletivo sentiram que houve um leve aumento no número de passageiros nos ônibus em Campo Grande. Apesar de não ser uma diferença expressiva, passageiros relataram que sentiram os ônibus e terminais um pouco mais cheios do que o normal nesta quarta-feira (17). Para os trabalhadores que utilizam o transporte coletivo no centro, andar em veículos lotados já se tornou rotina na pandemia. 

O vendedor João Vitor, de 21 anos, utiliza a linha 411 (Centro/Santa Mônica) todos os dias para trabalhar. Ele conta que já sabia da greve dos motoristas de apps e notou que havia mais pessoas no ônibus e nos pontos nesta manhã.  “Acho que tinha mais gente, mas já é cheio todos os dias mesmo”, comenta.

A atendente Vitória Rodrigues, de 22 anos, conta que pega o ônibus direto no terminal e desce no centro para pegar outro ônibus, da linha 051 (Bandeirantes/Shopping Campo Grande). Ela conta que o ônibus estava cheio como sempre, mas que foi possível perceber que havia poucas pessoas a mais do que de costume. “Nem sabia dessa greve, mas tinha poucas pessoas a mais”, comenta.

Enquanto alguns passageiros sentiram diferença na lotação do transporte, em algumas linhas a percepção foi outra. A atendente Jennifer Melo, de 21 anos, conta que pegou o ônibus da linha 116 (Centro/Los Angeles), mas viu que o veículo estava até mais vazio do que o normal. “Por incrível que pareça, parecia que estava um pouco mais vazio. No ponto que eu pego, estavam as mesmas pessoas”.

Preços nos apps quase triplicam

Os motoristas de aplicativo decidiram fazer uma paralisação nesta quarta-feira (17) como protesto contra o preço da gasolina em Mato Grosso do Sul. Porém, a mobilização já tem causado impacto para os usuários de aplicativos nesta manhã em Campo Grande. Com menos motoristas nas ruas, o preço dispara e alguns passageiros têm até que apelar para outras opções, como carona ou ônibus.

Um morador do bairro Santo Amaro, que geralmente utiliza o transporte por aplicativos para chegar ao trabalho no centro, costuma pagar R$ 11 no trajeto. Porém, logo no início da manhã, o valor já estava maior do que o normal e conforme o tempo foi passando, os preços aumentaram cada vez mais.

O preço mais baixo foi identificado logo no início da manhã, às 6h19 no valor de R$ 16,92 – quase R$ 6 a mais do que o preço de costume. Às 6h25 o preço do trajeto já aumentou para R$ 25,95. Às 6h55, o preço para ir do Santo Amaro ao Centro sofreu uma leve queda e foi para R$ 21,74.

Jornal Midiamax