Cotidiano

Com 150 mil doses contra covid, MS deve ter vacinação noturna para imunizar população

'Nunca tivemos tanta vacina', comemorou secretário de saúde

Mylena Rocha Publicado em 03/05/2021, às 11h55 - Atualizado às 12h04

None
Henrique Arakaki/Midiamax

Em poucos dias, Mato Grosso do Sul recebeu mais de 150 mil doses de vacina para a campanha contra o coronavírus. Entre quinta (29) e esta segunda-feira (3), o Estado recebeu 148.250 doses da Astrazeneca. À noite, o Estado ainda recebe mais 7.020 na primeira remessa da vacina da Pfizer, totalizando 155.270 doses que podem ser utilizadas para aplicação da primeira dose na população. Com tantas doses, a SES (Secretaria de Estado de Saúde) pediu vacinação noturna nos municípios. 

Durante a live da SES (Secretaria de Estado de Saúde), o secretário Geraldo Resende comemorou a quantidade de doses recebidas pelo Estado. “Temos vacina em quantidade razoável, nunca tivemos tantas vacinas”, disse. 

Com uma quantidade significativa de vacinas em Mato Grosso do Sul, Resende disse que irá pedir aos prefeitos dos municípios que façam a vacinação também no período noturno. O secretário citou que Campo Grande é uma das cidades que deve contar com vacinação durante a noite nos próximos dias. 

“Aos municípios que quiserem fazer a vacinação no período noturno, ficamos muito felizes. Lugar de vacina não é na geladeira, é no braço”, reforçou. O secretário ainda disse que o objetivo é vacinar cerca de 1% da população de cada município por dia contra o coronavírus. 

Também nesta segunda-feira (3), o secretário de saúde comentou sobre a expectativa de receber novas doses da vacina Coronavac. Ele explica que há diversas pessoas no Estado com a imunização atrasada e que os idosos serão prioridade na aplicação da segunda dose. 

Primeiro lote da Pfizer

Remessa com 7.020 doses da vacina da Pfizer chegam às 23h55 desta segunda-feira (3), no Aeroporto Internacional de Campo Grande. Neste primeiro momento, apenas a Capital poderá utilizar o imunizante devido às condições de armazenamento.

O secretário Geraldo Resende disse ao Jornal Midiamax que a SES (Secretaria Estadual de Saúde) está preparando equipamentos capazes de armazenar o imunizante. Diferentemente das outras vacinas, que podem ser mantidas em temperaturas entre 2ºC e 8ºC, o novo imunizante exige temperaturas bem mais baixas (entre -65ºC e -80ºC).

Jornal Midiamax