Cotidiano

Caminhoneiros protestam em alguns estados, mas MS não registra bloqueio em rodovias

Bloqueios são resquícios das manifestações de 7 de setembro a favor do governo federal

Fábio Oruê Publicado em 08/09/2021, às 18h30

Bloqueio de caminhoneiros em Santa Catarina, um dos estados que mais aderiu a paralisação
Bloqueio de caminhoneiros em Santa Catarina, um dos estados que mais aderiu a paralisação - Foto: Deivide Sacramento/SCC SBT

Apesar de mobilização nacional na paralisação dos caminhoneiros, MS não registrou adesão dos profissionais que estão no Estado nesta quarta-feira (8). Bloqueios nas rodovias federais foram registrados em pelo menos sete outros estados do Brasil.

A PRF (Polícia Rodoviária Federal) de MS confirmou ao Jornal Midiamax que não houve pontos de bloqueios por caminhoneiros nas estradas federais que passam pelo Estado. A corporação registrou apenas paralisações indígenas devido a votação do marco temporal pelo STF (Supremo Tribunal Federal), mas as rodovias bloqueadas já foram liberadas

O Ministério de Infraestrutura informou que a PRF atuou para desmobilizar bloqueios de estradas realizados por caminhoneiros na Bahia, Espírito Santo, Mato Grosso, Santa Catarina, Paraná, Maranhão e Rio Grande do Sul. Os bloqueios começaram na terça-feira (7) durante as manifestações do 7 de Setembro, convocadas pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

O ministério informou ainda que os atos não são organizados por qualquer entidade setorial do transporte rodoviário de cargas e que a composição das mobilizações é heterogênea, "não se limitando a demandas ligadas à categoria". A pasta disse ainda que não há previsão, no momento, de que os bloqueios nas rodovias afetem o abastecimento de produtos no País.

A NTC&Logística (Associação Nacional do Transporte de Cargas e Logística), que diz congregar cerca de 4 mil empresas de transporte associadas direta e indiretamente e mais de 50 entidades patronais, afirmou que a movimentação é de natureza política e está dissociada das bandeiras e reivindicações da categoria de caminhoneiros autônomos.

A paralisação, contudo, não é uma decisão unânime da categoria. Entidades que representam caminhoneiros autônomos e que chamam mobilizações a favor de demandas específicas da categoria não aderiram aos atos. Na semana passada, representantes da categoria já consideravam que poderia haver a presença pontual de transportadores nos movimentos, mas de forma isolada, sem organização associativa.

*Com informações da Agência Estado.

Jornal Midiamax