Cotidiano

Barreiras sanitárias começam e plano é vacinar quem não estiver imunizado ao chegar a Campo Grande

Passageiros serão abordados na sala de desembarque para fazer teste de antígeno

Mylena Rocha e Gabriel Neves Publicado em 07/12/2021, às 08h45

Barreira começou a ser preparada nesta manhã e equipe começa a abordar passageiros por volta das 9h.
Barreira começou a ser preparada nesta manhã e equipe começa a abordar passageiros por volta das 9h. - Marcos Ermínio/Midiamax

Como estratégia para evitar a disseminação da variante Ômicron, Campo Grande inicia, nesta terça-feira (7), a barreira sanitária no Aeroporto Internacional. A iniciativa fará a abordagem dos passageiros que desembarcam na Capital, principalmente quem vem de estados que já confirmaram a nova variante, como São Paulo, Rio Grande do Sul e Distrito Federal. 

A reportagem do Jornal Midiamax esteve presente no aeroporto nesta manhã e a barreira ainda estava sendo montada. As equipes começam a abordar os passageiros por volta das 9 horas, ou seja, os passageiros dos primeiros voos do dia não foram testados.

Com a estrutura pronta, as equipes estarão presentes na barreira sanitária todos os dias, mesmo aos finais de semana e feriados. O trabalho deve ser realizado das 8 horas à meia-noite.

O objetivo é monitorar os passageiros e evitar o ingresso de novas variantes em Campo Grande, como explica a superintendente de Vigilância em Saúde, Veruska Lahdo. “O nosso objetivo é manter sob controle a situação da pandemia em nossa cidade. Os números de casos, internações e óbitos se mantêm estáveis, porém é necessário cautela”, diz.

Como vai funcionar? 

[Colocar ALT]
Marcos Rodrigues explica que passageiros serão abordados e testados antes de sair para o saguão. (Foto: Marcos Ermínio)

As equipes da Sesau farão a abordagem e triagem do passageiro logo após o desembarque. Os passageiros serão orientados para o local onde será feito o teste de antígeno, que fica pronto entre 15 e 20 minutos. A Sesau aponta que o teste de swab possui alto grau de confiabilidade. 

O superintendente em gestão de cuidados da Sesau, Marcos Rodrigues, explica que a barreira sanitária fará uma triagem dos passageiros na sala de desembarque. Antes de sair para o saguão, os passageiros serão abordados e questionados sobre sintomas do coronavírus e possíveis contatos com pessoas infectadas. 

De acordo com Rodrigues, um enfermeiro da Sesau fará a abordagem e, caso o passageiro tenha suspeita, será encaminhado para uma área no saguão onde o teste será realizado. “Neste trabalho, serão duas enfermeiras e um funcionário administrativo durante a manhã e à tarde. No período da noite, será uma enfermeira e um do administrativo”, explica.

Caso o teste dê positivo, o passageiro será orientado a ficar em quarentena. Além disso, as equipes vão recolher dados sobre o passageiro, para que ele possa ser monitorado.

Enfermeiros da Sesau estarão presentes na sala de desembarque para abordar passageiros. (Foto: Marcos Ermínio/Midiamax)

Além de testar, Campo Grande quer vacinar visitantes

A barreira sanitária já está sendo instalada no início desta manhã para fazer a testagem dos passageiros, mas o objetivo do município é de também vacinar os visitantes para evitar a contaminação. A ideia ainda está sendo debatida, mas a proposta é colocar a vacina à disposição no Aeroporto de Campo Grande. 

“Ainda vamos analisar a estrutura, mas a ideia é de que a pessoa chegue e, se estiver faltando uma dose, por exemplo, já receba a vacina no aeroporto mesmo, antes de sair pela cidade”, explicou o superintendente. 

Jornal Midiamax