Cotidiano

Após temporal, saiba como identificar risco de queda de árvores e solicitar remoção

Prefeitura Municipal realiza remoção de árvores apenas em casos de risco eminente de queda

Renata Barros Publicado em 19/10/2021, às 10h10

Árvore de grande porte caiu durante tempestade na avenida Madrid, em Campo Grande
Árvore de grande porte caiu durante tempestade na avenida Madrid, em Campo Grande - Foto: Fala Povo

Com o temporal que atingiu Campo Grande na última sexta-feira (15), muitas árvores caíram com a força dos ventos, deixando um rastro de destruição pela Capital. Com isso, muitos moradores que possuem árvores próximas de suas residências, seja nas calçadas ou nas propriedades, preocupam-se com o risco de queda.

O que fazer nesses casos?

A Semadur (Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano) explica que apenas árvores em risco eminente de queda são removidas pelo órgão. O biólogo José Milton Longo destaca que os moradores devem se atentar ao aspecto da árvore e acompanhar a sanidade da árvore, ou seja, identificar se ela se encontra viva ou morta. “Verificar se as raízes estão bem desenvolvidas, encorpamento adequado, se não apresenta nenhum tipo de broca ou inseto desconfigurando a formação da árvore”, elenca o biólogo.

No bairro Jardim dos Estados, moradores colocaram estacas para evitar queda. Foto: Fala Povo

Ele afirma que situações como a que ocorreu na sexta-feira (15) são raras e não teria como prever e impedir a queda de árvores, devido à força do vento. No entanto, o biólogo destaca que alguns sinais podem indicar o risco eminente de queda. “Árvores com enraizamento muito antigo, já apodrecido ou que padecem dos efeitos da urbanidade, os avanços dos calçamentos e impermeabilização também levam a essa situação, o apodrecimento da raiz, que com vento de intensidade moderada e alta pode também promover esse tipo de situação de arrancar a árvore”, explica Longo.

Solicitar a poda ou remoção

Em casos em que o morador identifique situação de risco eminente de queda, ele ou um representante deve se dirigir a CAC (Central de Atendimento ao Cidadão) para formalizar a solicitação de remoção ou poda da árvore que estejam tanto no passeio público, como no interior da propriedade.

O morador precisa ir até o Protocolo Geral, na CAC, onde vai solicitar a abertura do processo de poda ou remoção. “Após a abertura desse processo, o mesmo será encaminhado à Semadur para que o auditor fiscal de meio ambiente realize a fiscalização no local e posteriormente emita um Laudo de Vistoria. Somente após o laudo expedido pelo munícipe será autorizado ou não a realizar a poda ou remoção da árvore solicitada”, explica a Semadur em nota enviada ao Jornal Midiamax.

Atenção para os documentos necessários para a formalização do processo de solicitação de Poda ou Remoção de árvore presencialmente na CAC:

  • Cópia do documento pessoal (proprietário)
  • Comprovante de residência
  • E o requerimento solicitando o pedido para poda/remoção (o atendente fornece o requerimento para preenchimento).
  • E quando solicitado por um representante, documento que comprove a anuência do proprietário do imóvel quanto à solicitação.

A CAC fica localizada na Rua Marechal Rondon, 2655, no centro.

Atendimento de emergência

Por conta do grande número de solicitações, a Semadur está recebendo solicitações de vistorias em relação às árvores que estejam em risco eminente de queda por meio da Central 156 e do telefone 4042-1323 (ramal 2743).

A Secretaria afirma que o serviço está em caráter excepcional e temporário. “Destacamos que devido ao grande número de ligações o ramal encontra-se por vezes congestionado, desta forma, pedimos a compreensão da população”, completa.

Jornal Midiamax