Cotidiano

Após nove dias, bolivianos encerram greve e reabrem fronteira em Mato Grosso do Sul

Manifestantes pediam a revogação de lei que permitia ao governo investigar o patrimônio de qualquer cidadão sem ordem judicial

Gabriel Neves Publicado em 17/11/2021, às 07h45

Tráfego de caminhões é intenso no local
Tráfego de caminhões é intenso no local - (Foto: Reprodução/Diário Corumbaense)

Após a revogação da Lei 1.386, a fronteira entre a Bolívia e Corumbá reabriu na noite de terça-feira (16). O ponto estava fechado há nove dias por conta da lei que permitia ao governo investigar o patrimônio de qualquer cidadão sem ordem judicial, dando início a uma greve nacional no país vizinho.

De acordo com o presidente do Comitê Cívico de Arroyo Concepción, Antonio Chávez Mercado, a greve é avaliada de forma positiva e mostra a luta do povo boliviano, mas ainda são exigidas outras reivindicações. “Estamos exigindo que o pacote de leis, dentro da 1386, seja totalmente revogado pelo governo”, disse.

Em relação às outras exigências, Mercado afirma que foi dado um prazo de sete dias para que o pacote de leis seja totalmente revogado. Também são exigidos dois terços do Senado em votação para aprovações de leis, caso contrário uma nova greve pode iniciar.

De acordo com o jornal local Diário Corumbaense, a abertura da fronteira causou um intenso movimento de caminhões, que aguardavam no local desde o início da greve.

A Polícia Boliviana fez o controle do tráfego. Alguns manifestantes se reuniram próximo ao ponto de bloqueio para celebrar a revogação da lei depois da votação da Câmara dos Deputados, Senado e sanção pelo presidente Luis Arce.

Jornal Midiamax