Cotidiano

Após erros, edital de promoção de guardas municipais será republicado

O prefeito Marquinhos Trad (PSD) assinou, nesta quinta-feira (4), a concessão de benefícios a 533 servidores da GCM (Guarda Civil Metropolitana). O edital apresentou erros na publicação do Diogrande, desta sexta-feira (5), entre eles promoção de servidor que faleceu, e por isso será republicado. Em nota, o município confirmou a existência de erros na numeração […]

Karina Campos Publicado em 05/02/2021, às 18h03 - Atualizado em 06/02/2021, às 08h09

(Foto: PMCG / Divulgação)
(Foto: PMCG / Divulgação) - (Foto: PMCG / Divulgação)

O prefeito Marquinhos Trad (PSD) assinou, nesta quinta-feira (4), a concessão de benefícios a 533 servidores da GCM (Guarda Civil Metropolitana). O edital apresentou erros na publicação do Diogrande, desta sexta-feira (5), entre eles promoção de servidor que faleceu, e por isso será republicado.

Em nota, o município confirmou a existência de erros na numeração de servidores. Em um trecho, por exemplo, o número pula do 139 para o 142 e do 148 para o número 212. Outro fato que chamou a atenção é a promoção do servidor que faleceu com problemas cardíacos em novembro de 2020.

“A Prefeitura vai fazer uma republicação do decreto. Em relação ao servidor, esclarecemos que a lista foi apresentada pela categoria em 2020, antes do guarda falecer. A correção também será feita na nova publicação”, informou a nota.

O documento assinado pelo prefeito, estabelece progressão funcional para 533 guardas civis, prevista no Plano de Cargos e Carreiras aprovado na Câmara em agosto de 2019, com prazo de 60 dias para implementação. Todavia, na prática, é a assinatura desta quinta-feira que se passa a dar cumprimento ao dispositivo.

A assinatura reflete na progressão salarial de aproximadamente 23% para os 533 guardas beneficiados, que aguardavam a medida há cerca de 11 anos. O termo também estabeleceu mudança na natureza da bolsa alimentação, que passará a ser considerada uma espécie de abono, ainda no valor de R$ 290, de forma a não impactar o teto de gastos com pessoal pelo Executivo.

Jornal Midiamax