Cotidiano

Apesar de mudança em aulas da SED, Reme mantém ensino 'escalonado' em Campo Grande

Ensino no Município continua sendo de forma presencial escalonada

Mariane Chianezi Publicado em 29/09/2021, às 15h53

None
Divulgação/PMCG

Após a SED (Secretaria de Estado de Educação) anunciar que as aulas nas escolas estaduais serão 100% presenciais, a Reme (Rede Municipal de Ensino) informou que ainda não seguirá a mesma medida e aulas presenciais escalonadas continuam em Campo Grande. 

Conforme nota, a Semed (Secretaria Municipal de Educação) disse que quaisquer mudanças definidas, os pais, responsáveis e alunos serão avisados. "Por enquanto as aulas da Reme serão mantidas da forma atual. Qualquer mudança será comunicada", disse.

O anúncio sobre a volta às aulas presenciais em sua totalidade nas escolas estaduais foi feito durante a live do Prosseguir na manhã desta quarta-feira (29). O presidente do Comitê Gestor do Prosseguir, Eduardo Riedel, explicou que o assunto foi muito debatido e a volta às aulas presenciais foi possível por conta da redução na taxa de contágio e o alto índice de vacinação no Estado.

“É o que a gente esperava, vamos trabalhar a partir de segunda-feira com lotação normal, independente do grau de risco do município”. 

O secretário adjunto da SED, Edio Antônio Resende de Castro, afirma que a volta às aulas presenciais sem limite de ocupação nas salas de aula foi uma decisão unânime durante reunião do Prosseguir. Com isso, os estudantes das escolas estaduais vão começar o quarto bimestre com aulas normais na segunda-feira (4). 

Castro reforçou que a decisão da volta às aulas foi possível devido ao alto índice de cobertura vacinal entre adultos e adolescentes. Ele reforçou que o retorno era necessário, pensando também em alunos que sofrem violência em casa ou que precisam da merenda para se alimentarem. “Era necessário voltar o mais urgente possível”, frisou. 

Agora, o trabalho será feito para ajudar os alunos a recuperar o ritmo nos estudos. “As perdas são grandes, talvez demore 10 anos para recuperar a perda desses 503 dias. Temos planos de retomada, recuperação para que possam estar no nível que deveriam estar”, disse o secretário adjunto. 

Jornal Midiamax