Cotidiano

Escolas estaduais de MS retomam aulas 100% presenciais e sem limite de ocupação na segunda-feira

Com vacinação dos adolescentes ‘patinando’, SED fará busca ativa a alunos que ainda não procuraram imunização

Mylena Rocha Publicado em 29/09/2021, às 09h54

Aulas remotas deixam de existir e ensino será totalmente presencial no Estado.
Aulas remotas deixam de existir e ensino será totalmente presencial no Estado. - Henrique Arakaki/Midiamax

Depois de mais de 500 dias com ensino remoto ou híbrido, as escolas estaduais retomam as aulas totalmente presenciais em Mato Grosso do Sul. É o fim do ensino em casa e agora todos os alunos terão que voltar às escolas a partir da segunda-feira (4). Além disso, as salas de aula não terão mais a restrição na ocupação conforme a bandeira do Prosseguir (Programa de Saúde e Segurança da Economia). 

O anúncio sobre a volta às aulas foi feito durante a live do Prosseguir na manhã desta quarta-feira (29). O presidente do Comitê Gestor do Prosseguir, Eduardo Riedel, explicou que o assunto foi muito debatido e a volta às aulas presenciais foi possível por conta da redução na taxa de contágio e o alto índice de vacinação no Estado. “É o que a gente esperava, vamos trabalhar a partir de segunda-feira com lotação normal, independente do grau de risco do município”. 

O secretário adjunto da SED (Secretaria de Estado de Educação), Edio Antônio Resende de Castro, afirma que a volta às aulas presenciais sem limite de ocupação nas salas de aula foi uma decisão unânime durante reunião do Prosseguir. Com isso, os estudantes das escolas estaduais vão começar o quarto bimestre com aulas normais na segunda-feira (4). 

Castro reforçou que a decisão da volta às aulas foi possível devido ao alto índice de cobertura vacinal entre adultos e adolescentes. Ele reforçou que o retorno era necessário, pensando também em alunos que sofrem violência em casa ou que precisam da merenda para se alimentarem. “Era necessário voltar o mais urgente possível”, frisou. 

Agora, o trabalho será feito para ajudar os alunos a recuperar o ritmo nos estudos. “As perdas são grandes, talvez demore 10 anos para recuperar a perda desses 503 dias. Temos planos de retomada, recuperação para que possam estar no nível que deveriam estar”, disse o secretário adjunto. 

E o distanciamento, como fica?

O secretário adjunto afirma que as salas de aula da rede estadual atendem, em média, entre 27 e 28 alunos. “Não vamos ter problema de distanciamento, vai ser cumprido”. As outras medidas de biossegurança também continuam, como disponibilidade de álcool em gel e medição da temperatura dos alunos na entrada das escolas. 

Quem não comparecer, leva falta? 

Com a volta das aulas presenciais, os alunos que não comparecerem às escolas ainda não levarão falta em um primeiro momento. Castro afirma que os educadores devem identificar o motivo da falta do estudante e atuar para ajudar no problema.

“Foi por que o pai não deixou vir? Foi por que está trabalhando para ajudar na renda? Eu peço que o gestor escolar entenda, que não coloque falta no primeiro momento”. 

Vacinação dos adolescentes ‘patina’ e SED vai ajudar

[Colocar ALT]
Conforme Vacinômetro, 63% dos adolescentes foram vacinados. (Foto: Marcos Ermínio)

Ainda nesta semana, o secretário estadual de saúde, Geraldo Resende, citou que a vacinação dos adolescentes não tem sido como o esperado. “Estamos vendo uma baixa procura da vacina nos adolescentes. Estamos patinando, precisamos chegar a 90% dos adolescentes”, comentou na segunda-feira (27). 

Como o público-alvo da rede estadual de ensino é de adolescentes, a SED deve auxiliar para atingir uma cobertura vacinal maior. “Com o retorno, podemos fazer a busca ativa, auxiliar a SES para saber por que não tomaram a vacina. Foi falta de informação, mora na área rural? Podemos fazer a busca ativa e ajudar, tem vacina sobrando”, explicou o secretário adjunto da SED. 

Jornal Midiamax