Cotidiano

VÍDEO: manifestação reúne apoiadores pró-Bolsonaro em Campo Grande

Os manifestantes pró-Bolsonaro percorreram a Avenida Afonso Pena até chegarem à Prefeitura da Capital, escoltados pela PM.

Gabriel Maymone Publicado em 21/06/2020, às 17h14 - Atualizado em 19/07/2020, às 20h26

None

Manifestantes pró-Bolsonaro se reúnem na Avenida Afonso Pena, na tarde deste domingo (21), em Campo Grande. Após concentração na Praça do Rádio Clube, os apoiadores do presidente subiram em direção à prefeitura. Motoristas que passavam pelo local e apoiavam o movimento soavam buzinas para manifestar apoio.

Com palavras de ordem como “Fora comunismo”, “Contra STF corrupto”, Contra a PL 9776” e “Fechados com Bolsonaro”, dezenas de manifestantes participam do ato, que também reivindica que o Projeto de Lei 9776, que tramita na Câmara Municipal seja barrado. Além disso, os protestos atingem ministros do STF (Supremo Tribunal Federal).

Para o jornalista e escritor Carlos Trapp, de 64 anos, os ministros estão interferindo no Executivo. “Colocam [ministros do STF] os municípios e estados acima da União”, declara. Ainda segundo ele, “Vim porque sou Bolsonaro, pró-democracia e entendo que devo me importar. Estou a favor do Bolsonaro e contra atitudes do STF. Eles [ministros] mesmos acusam, investigam, julgam e condenam”, criticou.

Manifestação pró-Bolsonaro
Luiz Pereira é um dos organizadores. (Imagem Ranziel Oliveira / Midiamax)

Um dos organizadores do protesto, Luiz Pereira, de 25 anos, explana sobre as reivindicações do movimento. “Nós queremos melhorar o Brasil e o fim da corrupção do STF. Queremos evitar o comunismo. Evitar o Projeto de Lei da censura dos vereadores de Campo Grande, conhecido como projeto das Fake News. Os vereadores assim o chamam, mas na verdade é um processo que buscar censurar os patriotas”.

Pereira continua: “Queremos que a Sara Winter seja libertada, pois a prisão dela é injusta e ilegal. Somos contra os abusos do STF. As decisões do STF seguem fiéis ao ideológico da esquerda, com objetivo de tumultuar e atrapalhar o governo de Jair Bolsonaro”, pontuou.

Manifestação pró-Bolsonaro
Melqui Santana segurando bandeiras do Brasil, Mato Grosso do Sul e Campo Grande. (Imagem: Ranziel Oliveira / Midiamax)

Também participou do evento o monitor do sistema nacional de Juventude, Melqui Santana, de 23 anos. “O objetivo é mostrar que estamos fechados com Bolsonaro. Elegemos ele e temos visto que a Soraya [senadora] e Tio Trutis [deputado federal] que foram eleitos com ele pela mesma ideologia tem ficado calados. Mas viemos para mostrar apoio e pedir o impeachment de Alexandre de Moraes [ministro do STF]. Ele prende todos os ativistas pró-Bolsonaro e com o outro lado nada acontece. Fora o vereador Carlão pela PL 9776”, diz Melqui explicando que o projeto que é para ser contra Fake News por causa da Covid-19, mas no fim do texto, a proposta enquadra também ataques políticos e eleitorais. “Estão se armando para que a população não possa mais protestar nem se expressar contra parlamentares corruptos”, exclama.

Manifestação pró-Bolsonaro
Advogada Sarah Guimarães com bandeira do Brasil. (Imagem: Ranziel Oliveira / Midiamax)

Já a advogada Sarah Guimarães afirma que não é vinculada a partido político e explica o porquê participa da manifestação. “Não tenho outro objetivo a não ser ter um país melhor para os meus dois filhos. Cresci ouvindo os valores dos meus pais, que vejo que hoje não estão sendo pregados. Vejo a figura de Bolsonaro com honra e dignidade, como continuação do que já existia na minha família. É absurdo em nível nacional os abusos do STF. Como advogada, vejo que estão descumprindo o objetivo deles, que deviam ser guardiões da Constituição. Não sou contra o STF, mas contra quem está lá, porque estão cometendo abusos e devem ser retirados, com o pedido de impeachment. Não sou contra democracia, a lei deve ser cumprida para todos, até para os ministros. É como se eles sentassem em cima da constituição”, desabafou.

Manifestação pró-Bolsonaro
Manifestantes protestaram em frente a prefeitura. (Imagem: Ranziel Oliveira / Midiamax)

Após percorrer a Afonso Pena, escoltados pela Polícia Militar, os manifestantes pró-Bolsonaro protestaram em frente à Prefeitura de Campo Grande, onde bradaram contra o prefeito Marquinhos Trad (PSD), alegando que ele teria tentado censurá-los.

Jornal Midiamax