Cotidiano

Segunda etapa da vacinação contra a gripe será diferente; confira o que muda

Começou nesta quinta-feira (16) a segunda etapa da vacinação contra a gripe em Campo Grande. Desta vez, a estratégia de imunização adotada pela Sesau (Secretaria Municipal e Saúde) será diferente. As farmácias e drogarias devem continuar vacinando, mas atendem apenas os profissionais da saúde e idosos remanescentes da primeira etapa.  Nesta segunda fase da campanha, […]

Mylena Rocha Publicado em 16/04/2020, às 12h50

(Leonardo de França | Jornal Midiamax)
(Leonardo de França | Jornal Midiamax) - (Leonardo de França | Jornal Midiamax)

Começou nesta quinta-feira (16) a segunda etapa da vacinação contra a gripe em Campo Grande. Desta vez, a estratégia de imunização adotada pela Sesau (Secretaria Municipal e Saúde) será diferente. As farmácias e drogarias devem continuar vacinando, mas atendem apenas os profissionais da saúde e idosos remanescentes da primeira etapa. 

Nesta segunda fase da campanha, serão vacinados os profissionais das forças de segurança e salvamento, portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais, funcionários do sistema prisional, adolescentes e jovens com idades entre 12 e 21 anos sob medidas socioeducativas, população privada de liberdade, caminhoneiros, profissionais do transporte coletivo (motoristas e cobradores), trabalhadores portuários e indígenas, adicionados recentemente ao público-alvo da campanha. 

Com exceção  dos adolescentes e jovens com idades entre 12 e 21 anos sob medidas socioeducativas e população privada de liberdade, que serão imunizados nas respectivas unidades de detenção, os demais públicos podem procurar qualquer unidade básica de saúde mais próxima para se vacinar, com a documentação exigida.

Que documento levar?

Conforme informações da Sesau, os profissionais de segurança e salvamento devem levar a identidade funcional. Caminhoneiros e profissionais do transporte coletivo e trabalhadores portuários devem apresentar um documento de comprovação da sua atuação, que pode ser: carteira de trabalho, contracheque com documento de identidade, carteira de sócio(a) do sindicato de transportes (categoria de motorista), carteira de habilitação (para motoristas das categorias C ou E) ou crachá funcional.

Já o trabalhador portuário deverá levar o comprovante do registro noOGMO (Órgão Gestor de Mão de Obra) ou a carteira de sócio do sindicato da categoria, o contracheque com documento de identidade, declarações dos serviços onde atua, carteira de trabalho ou crachá funcional.

Doentes crônicos devem levar laudo médico (em razão da redução dos atendimentos eletivos, as unidades irão aceitar laudos do ano anterior/2019). Indígenas devem levar a carteirinha da Funai (Fundação Nacional do Índio) ou identidade indígena.

Unidade de Apoio

Para  dar suporte a vacinação dos profissionais das forças de segurança e salvamento será instalada uma unidade de apoio no CEM (Centro de Especialidades Médicas), localizado na Travessa Guia Lopes, 71, bairro São Francisco. A unidade funcionará nos dias 22, 23, 24 e 27, 28, 29 e 30 de abril, em horário comercial.

Idosos e profissionais de saúde

Idosos e profissionais de saúde que eventualmente não tenham se imunizado durante a primeira etapa poderão procurar as farmácias e drogarias cadastradas junto à Secretaria Municipal de Saúde. Confira a lista de farmácias cadastradas. 

Primeira etapa

Conforme dados parciais da primeira etapa encerrada na quarta-feira (15) mais de 91 mil idosos foram imunizados em Campo Grande, o equivalente a 114% da meta que é 80 mil. Até a última semana, 13.800 profissionais de saúde já haviam se imunizados, faltando pouco mais de 10 mil.

A terceira etapa da campanha de vacinação está prevista para o dia 9 de maio, onde serão imunizadas crianças menores de seis anos de idade, gestantes e puérperas, professores de escolas públicas e privadas, povos indígenas, pessoas com idade entre 55 e 59 anos e pessoas com deficiência.

Jornal Midiamax