Cotidiano

Escolas particulares pressionam e reunião pode antecipar volta das aulas presenciais 

Nesta quarta-feira (20), deve acontecer uma reunião entre a prefeitura de Campo Grande, MP (Ministério Público) e representantes das escolas particulares da capital.

Dândara Genelhú Publicado em 19/05/2020, às 16h46 - Atualizado em 21/05/2020, às 08h56

Retorno está previsto para 1º de julho, de acordo com calendário definido pelas escolas e órgãos públicos. (Foto: Reprodução)
Retorno está previsto para 1º de julho, de acordo com calendário definido pelas escolas e órgãos públicos. (Foto: Reprodução) - Retorno está previsto para 1º de julho, de acordo com calendário definido pelas escolas e órgãos públicos. (Foto: Reprodução)

Nesta quarta-feira (20), deve acontecer uma reunião entre a prefeitura de Campo Grande, MP (Ministério Público) e representantes das escolas particulares da capital. O encontro poderá definir um plano para retorno das aulas nestas instituições de ensino privado.

De acordo com o prefeito Marquinhos Trad (PSD), a reunião acontecerá às 17h, com o procurador-geral de Justiça Alexandre Magno Lacerda e os representantes do setor.  “Ele vai nos receber, para tentarmos encontrar um calendário de retorno das escolas particulares“, afirmou.

“É lógico, sem muita polêmica”, ressaltou o prefeito. De acordo com ele, o retorno das aulas presencial só acontecerá “se tiver toda a segurança possível para não desenfrear e crescer essa pandemia” na cidade.

Para ele, caso haja alguma possibilidade de agravo do cenário do coronavírus no município, “nem OAB, nem Ministério Público, nem Prefeitura Municipal e nem os próprios diretores e proprietários das escolas particulares retornariam ou fariam a reabertura”. O prefeito garantiu que é as ações são realizadas “com extrema responsabilidade, tudo seguindo a ciência e orientação dos profissionais da Saúde pública do nosso país”.

Jornal Midiamax