Pela primeira vez desde o início da do novo coronavírus (), o HRMS ( de Mato Grosso do Sul) tem 100% dos leitos UTI (Unidade de Terapia Intensiva) ocupados.

O último boletim divulgado pelo hospital informa que todos os 87 leitos críticos e semicríticos para tratamento de pacientes com Covid-19 estão ocupados no hospital que é referência do governo estadual para receber infectados pela doença.

Ainda conforme os dados divulgados pelo HRMS, até a tarde de quarta-feira (29), havia 161 pessoas internadas com coronavírus na unidade. Destes, 71 estavam em estado grave e outros 89 na enfermaria, além de uma internação em UTI pediátrica.

O número de internações em leitos UTI estava crescendo em ritmo rápido. Assim, na segunda-feira, havia 77 pacientes em UTI. Em dois dias, o número subiu para 87 e esgotou a disponibilidade no HRMS. O hospital deve ganhar, em breve, novas unidades de leitos UTI.

Também de acordo com a atualização, o hospital atingiu a marca de 700 confirmações de casos de Covid-1, sendo 104 eram de funcionários. Destes, 55 já estão recuperados. Outros 161 estão internados e 354 pacientes já foram considerados curados. No total, foram 84 óbitos no hospital.

Ocupação de leitos

Na macrorregião de , segundo informações da SES (Secretaria de Estado de Saúde), dos 234 leitos de UTI oferecidos pelo SUS (Sistema Único de Saúde), 215 estavam ocupados na quarta-feira, o que representa 92% de ocupação.

A ocupação de leitos em Campo Grande é gera preocupação entre as autoridades, levando a medidas como a abertura de vagas em UTI em hospitais. Isso já ocorreu no Hospital de Câncer Alfredo Abrão (14 leitos) e Santa Casa (10), com outros 10 a serem inaugurados no Hospital Universitário. Além disso, diárias clínicas e em UTIs na rede privada foram contratadas e já se encontram em uso no Hospital do Pênfigo, El Kadri, Clínica Campo Grande e Proncor.