Em recomendação encaminhada ao Consórcio Guaicurus e à Prefeitura, o MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul) pede que medidas sejam adotadas para que os ônibus não tenham aglomeração e acabem se tornando ponto de transmissão do novo coronavírus. Desde a semana passada, o município endureceu as regras para que os ônibus só circulem com passageiros sentados. No entanto, a realidade nos coletivos tem sido de lotação e demora. 

Conforme a recomendação assinada pela promotora Filomena Aparecida Depólito Fluminham, além do Consórcio Guaicurus fiscalizar que passageiros não circulem em pé, as empresas também deverão fazer sinalização no chão para delimitar distância de 1,5 metro por passageiro na espera dos embarques.

Limpeza nos banheiros dos terminais e nos pontos de contato dos usuários, como os bancos, também precisará ser reforçada, recomenda o MP.

A cobrança também teve como destino quatro secretarias do município: (Secretaria Municipal do e Gestão Urbana), Sesau (Secretaria Municipal de Saúde), Agetran (Agência Municipal de Trânsito) e (Agência Municipal de Regulação dos Serviços Públicos”.

Ao município, a promotora recomendou que a fiscalização seja intensificada. Um plano com regras de biossegurança deverá ser elaborado pelo Consórcio Guaicurus e o município no prazo de 10 dias.  “O MP recomenda também que adote as medidas para que mais ônibus sejam disponibilizados nos horários de maior fluxo”, afirma Filomena.

Nos últimos dias, usuários do transporte coletivo reclamam diariamente da demora na espera dos coletivos e na lotação dos ônibus.

Conforme o MPMS, o município recebeu a recomendação na última quinta-feira e o Consórcio Guaicurus nesta segunda-feira.