Cotidiano

Fugindo do horário de pico, mais idosos circulam no Centro no 1º dia de passe liberado

Após seis meses suspenso em Campo Grande, o passe livre do transporte público para idosos voltou a funcionar nesta segunda-feira (05) e muitos usuários aproveitaram para resolver as pendências bancárias ou ir ao médico. O passe foi suspenso em março pela Prefeitura, como medida de segurança por causa da pandemia de coronavírus. Agora, com liberação, […]

Dayene Paz Publicado em 05/10/2020, às 12h09 - Atualizado às 15h15

Foto: Arquivo | Midiamax
Foto: Arquivo | Midiamax - Foto: Arquivo | Midiamax

Após seis meses suspenso em Campo Grande, o passe livre do transporte público para idosos voltou a funcionar nesta segunda-feira (05) e muitos usuários aproveitaram para resolver as pendências bancárias ou ir ao médico. O passe foi suspenso em março pela Prefeitura, como medida de segurança por causa da pandemia de coronavírus. Agora, com liberação, a estratégia é evitar os horários de pico para não enfrentar lotação.

“Agora vou poder ir ao médico sem me preocupar com o gasto”, disse Helena Guarini, de 72 anos. Mesmo assim, hoje gastou com o transporte hoje, porque não sabia da liberação. “As vezes tenho que ir ao médico duas vezes na semana e fica longe de casa. Agora vai melhorar”, comentou. Helena afirma que tem medo da doença, mas que se sente segura. “Peguei o ônibus vazio”, destacou.

Fugindo do horário de pico, mais idosos circulam no Centro no 1º dia de passe liberado
Shirley aproveitou para ir ao banco nesta segunda. Imagem: Henrique Arakaki

Shirley de Medeiros, de 81 anos, também diz que se sente segura com o transporte coletivo. Acompanhada da máscara e álcool em gel, ela evita os horários de pico e assim, raramente pega ônibus com muitos usuários. “Já utilizei hoje para ir na farmácia comprar remédio e estava tranquilo. Antes eu estava andando, mas só em caso de necessidade”, afirmou.

Para quem precisa ir ao banco, foi uma luta. Jandira Vieira, de 81 anos, ficou durante meses em casa, sem usar transporte público. No entanto, com a liberação, aproveitou esta segunda-feira para resolver pendências na agência bancária. “Vim no horário que estava bem vazio”, disse, completando que não pretende utilizar ônibus com frequência.

A liberação do passe também foi um alívio para Antônio Marcos Viana, de 68 anos. “Usava de vez em quando, mas agora vou conseguir vir, comprar as coisas mais baratas no Centro e ir no banco”, afirmou. O idoso também comentou que se sentiu seguro nesse retorno, com ônibus vazio. “Eu sinto medo, mas sigo todas as medidas de segurança”, afirmou.

Fugindo do horário de pico, mais idosos circulam no Centro no 1º dia de passe liberado
Antônio afirmou que respeitando as medidas de segurança, fica tranquilo com transporte público. Imagem: Henrique ArakakiR

Restrições

De acordo com a determinação, os passes dos idosos serão liberados para os dias úteis, de segunda a sexta-feira, das 9h às 16h e das 19h às 00h. Aos finais de semana e feriados, o cartão eletrônico está liberado sem restrição de horário.

O passe gratuito dos estudantes permanecerão bloqueados devido a permanência das aulas remotas. Vale lembrar que ainda não há previsão de retorno presencial dos alunos às salas de aula e Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) estima que somente em 2021 alunos retornem presencialmente às escolas.

De acordo com censo do IBGE de 2010, na Capital, o número estimado de pessoas entre 60 e 69 anos é de 19,5 mil, enquanto com 70 anos ou mais passa dos 15 mil.

Jornal Midiamax