Cotidiano

Mesmo na pandemia, Dia dos Namorados movimenta floriculturas de Campo Grande

Nem mesmo a pandemia do coronavírus deixou os casais menos apaixonados neste Dia dos Namorados. Em Campo Grande, as floriculturas estão movimentadas desde o começo da manhã e atendimento por telefone são concorridos. Flores e chocolates são as apostas tradicionais para acertar no presente do Dia dos Namorados. O Jornal Midiamax ligou para nove floriculturas […]

Dândara Genelhú Publicado em 12/06/2020, às 11h29 - Atualizado às 20h03

Foto: Procon-MS | Divulgação.
Foto: Procon-MS | Divulgação. - Foto: Procon-MS | Divulgação.

Nem mesmo a pandemia do coronavírus deixou os casais menos apaixonados neste Dia dos Namorados. Em Campo Grande, as floriculturas estão movimentadas desde o começo da manhã e atendimento por telefone são concorridos.

Flores e chocolates são as apostas tradicionais para acertar no presente do Dia dos Namorados. O Jornal Midiamax ligou para nove floriculturas da capital e apenas uma aceitou falar com o jornal.

Todas os outros oito estabelecimentos afirmaram que devido à correria das vendas e pedidos não poderiam conversar com a redação. “Desde manhã estamos corridos, só vou conseguir falar na segunda-feira”, brincou uma das vendedoras.

Aumento nos preços

A única que conseguiu conversar com o jornal não é motivo de alegria para o estabelecimento. Embora seja Dia dos Namorados, a proprietária da loja, que preferiu não se identificar, lamentou que foi afetada pela pandemia.

No mercado das flores há pouco tempo, a dona da floricultura afirma que os preços das rosas vermelhas subiram mais que o dobro nos fornecedores de São Paulo. Um maço com 20 botões de rosas, passou de R$ 35 para R$ 120.

Com o valor de lucro, materiais e mão de obra aplicados nas flores, um buquê pode custar até R$ 280 em Campo Grande. A pesquisa foi realizada pelo Procon-MS (Superintendência para Orientação e Defesa do Consumidor) para tomada de preços de itens tradicionais para o Dia dos Namorados.

Jornal Midiamax