Cotidiano

Mesmo com aumento de casos de coronavírus, Bonito libera música ao vivo em bares e restaurantes

O município de Bonito, a 300 km de Campo Grande, enfrenta um aumento no número de casos de coronavírus nos últimos dias e tem quatro mortes causadas pela doença. Mesmo com o coronavírus se espalhando cada vez mais na cidade, um decreto passou a permitir música ao vivo em estabelecimentos, como bares e restaurantes. Os […]

Mylena Rocha Publicado em 31/08/2020, às 12h06

Foto Ilustrativa: Divulgação/ Prefeitura de Bonito
Foto Ilustrativa: Divulgação/ Prefeitura de Bonito - Foto Ilustrativa: Divulgação/ Prefeitura de Bonito

O município de Bonito, a 300 km de Campo Grande, enfrenta um aumento no número de casos de coronavírus nos últimos dias e tem quatro mortes causadas pela doença. Mesmo com o coronavírus se espalhando cada vez mais na cidade, um decreto passou a permitir música ao vivo em estabelecimentos, como bares e restaurantes.

Os casos em Bonito começaram a aumentar principalmente em agosto, a primeira morte por Covid-19 foi registrada há pouco tempo. Em menos de três semanas, Bonito passou de um município sem mortes para quatro vítimas do coronavírus.

Dados da SES (Secretaria de Estado de Saúde) apontam que Bonito tinha 115 casos de coronavírus no dia 1º de agosto. O município fecha o mês com 389 casos de coronavírus, ou seja, um aumento de 238%.

De acordo com informações divulgadas pela Prefeitura de Bonito, o decreto libera o retorno da música ao vivo nos estabelecimentos com o máximo de dois músicos. O decreto também prevê distanciamento entre os músicos e o público. Segundo a administração, o retorno da música ao vivo em bares e restaurantes é um pedido da classe artística, que está há cinco meses sem trabalho.

O secretário de Turismo, Augusto Barbosa Mariano, afirmou que a medida leva em consideração modelos como Campo Grande, onde a atividade foi liberada. As demais medidas de segurança, como uso obrigatório de máscaras em todo o município, toque de recolher entre as 23h e 5 horas, distanciamento mínimo entre mesas e pessoas, disposição obrigatória de álcool 70% para higienização das mãos em locais públicos, entre outros, continuam em vigor.

Prefeitura diz que turismo não é responsável por aumento de casos

Município garante que a reabertura do turismo na cidade, que é um dos principais destinos de ecoturismo do país, não tem relação com o aumento de casos. O secretário Augusto Mariano disse que o setor turístico da cidade, como hotéis, restaurantes, pousadas, guias, estão respeitando as medidas de biossegurança estabelecidos pela Prefeitura Municipal. 

“Nós estamos frequentemente cobrando isso dos comerciantes e eles também cobram dos clientes. Todos estão respeitando. E os casos ativos estamos monitorando de perto, fazendo visitas nas casas”, explicou Augusto.

Jornal Midiamax